Jovem que sofria assédio atira na cabeça de perseguidor e é presa em SC

Após meses de perseguição, homem teria tentado estuprar a jovem de 19 anos. Para se defender, ela afirma que pegou a arma dele e disparou

Um homem de 38 anos foi atingido a tiros na mandíbula e no ombro na terça-feira (20) em Balneário Arroio do Silva, no Sul do Estado. A autora dos disparos, de 19 anos, afirmou à polícia que ele a perseguia há meses e tentou estuprá-la em uma praia.

A jovem foi presa em flagrante por tentativa de homicídio, mas está em liberdade mediante uso de tornozeleira eletrônica. A Polícia Civil investiga o caso.

Caso aconteceu em Balneário Arroio do Silva – Foto: Google Street View/Reprodução/NDCaso aconteceu em Balneário Arroio do Silva – Foto: Google Street View/Reprodução/ND

O delegado Flávio Gorla, que estava de plantão na DPCAMI (Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso) de Araranguá, atendeu o flagrante. Segundo ele, as circunstâncias do caso serão apuradas.

“Ainda não se sabe a dinâmica dos fatos, que será melhor apurada no inquérito policial. Sabe-se que havia insistência e perseguições por parte da vítima, de passar a mão e chegar perto”, diz o delegado.

Até o momento não ficou comprovada a tentativa de estupro, já que “no flagrante não ficou caracterizado a intenção de estuprar a mulher”. Ainda de acordo com o delegado, apesar da acusação da jovem, não houve provas materiais nem vestígios que sustentem a tentativa, e o caso se enquadraria em importunação ofensiva ao pudor.

“Vamos ver se havia câmeras e testemunhas, além de ouvir a vítima novamente, afinal ele sofreu os disparos, é a vítima”, avalia.

O que se sabe até o momento

De acordo com a Polícia Militar, o homem informou, inicialmente, que estava em um encontro com a mulher, quando ela atirou contra ele e fugiu de motocicleta em seguida. O caso ocorreu por volta das 19h30.

Depois, o homem mudou sua versão e afirmou que o autor dos disparos seria o marido da jovem, um homem de 25 anos, sem passagens pela polícia.

Os policiais foram à casa do casal e o marido disse que não sabia o que havia acontecido. A esposa, então, relatou que atirou no homem porque ele a perseguiu até a praia e tentou estuprá-la. No momento da agressão, ela teria sentido a arma na cintura do homem, conseguiu pegá-la e disparou contra ele para se defender.

Contradição nas versões

Segundo o delegado Gorla, tanto as versões do homem alvo dos disparos quanto da mulher se contradizem. Além dos dois tiros que atingiram o homem, foram encontrados outros dois dentro de sua caminhonete.

“Agora, é importante ser dito que a perícia na caminhonete vai determinar os fatos, porque o perito vai ver se eles estavam dentro ou fora do carro. A princípio estaria um fora e outro dentro, a não ser que esclareça que os disparos foram de dentro [do veículo] para fora. As versões não batem.”

Armas sem registros

Ao fazer buscas na casa do marido da autora dos disparos, foi encontrada uma carabina calibre 32, sem registro. O marido também foi preso em flagrante pela posse, mas saiu após pagar fiança de R$ 1 mil.

Outra arma foi encontrada na casa vítima, sem registro. O homem deverá ainda responder pela posse ilegal.

Em relato ao delegado, o marido disse que ficou surpreso, pois não sabia do suposto envolvimento dos dois. No entanto, ele informou que notou que o homem rondava a casa do casal de caminhonete há algum tempo.

O delegado informou que a arma utilizada no crime ainda não foi encontrada. Ele não soube informar se a arma era registrada. 

A jovem foi presa em flagrante por tentativa de homicídio privilegiado, “quando há forte emoção e em razão de uma injusta provocação”. Como a pena é superior a 4 anos, o juiz a liberou apenas com o uso da tornozeleira eletrônica. As investigações seguem.

+

Polícia