Três jovens são executados a tiros dentro de casa no Oeste de SC

Dois homens encapuzados invadiram uma residência na cidade de Quilombo e atiraram contra quatro pessoas; dois jovens de 19 anos e um adolescente de 16 foram mortos

Um crime brutal ocorreu na madrugada deste sábado (30) no município de Quilombo, no Oeste de Santa Catarina. Dois homens encapuzados invadiram uma casa, por volta das 00h30, e dispararam contra quatro pessoas.

Três jovens, sendo dois de 19 anos e um de 16, foram mortos. Uma mulher de 25 anos está internada em estado grave no Hospital São Bernardo, em Quilombo.

Quatro pessoas foram alvejadas dentro de casa em Quilombo, Oeste do Estado – Foto: Reprodução/NDQuatro pessoas foram alvejadas dentro de casa em Quilombo, Oeste do Estado – Foto: Reprodução/ND

Na ocorrência, a PM (Polícia Militar) foi acionada para apoiar o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para uma averiguação de indivíduo baleado.

No local, foram constatadas quatro vítimas baleadas por arma de fogo. Segundo as informações repassadas pelos oficiais, testemunhas relataram que dois homens encapuzados e armados entraram na residência mandando todos os presentes deitarem-se no chão.

Na sequência, foram ouvidos os disparos. Os autores fugiram e ainda não foram localizados.

Um dos jovens de 19 anos e o adolescente, de 16, ainda estavam com vida quando a equipe da SAMU os socorreu. Eles foram encaminhados ao hospital, mas não resistiram aos ferimentos.

A mulher de 25 anos segue internada com lesões graves. Depois de ouvir as testemunhas, a guarnição da PM se deslocou para o Hospital São Bernardo, juntamente com um grupo de polícias Civis, para ouvir o testemunho da vítima.

Lá, ainda de acordo com as informações da PM, uma enfermeira entregou para os oficiais uma quantidade de substância análoga a maconha que estava no bolso do homem de 19 anos.

Dessa forma, o plantão da Polícia Civil foi acionado e confeccionou o presente boletim de ocorrência de comunicação policial.

As identidades das vítimas ainda não foram informadas pelo IGP (Instituto Geral de Perícias). Segundo a PM, por ora, não foi identificado qualquer parentesco entre as quatro vítimas.

A Polícia Civil já abriu o processo de investigação do caso. Ainda não há informações sobre suspeitas de autoria e motivação do crime.

Acesse e receba notícias de Chapecó e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Polícia