Justiça aceita denúncia do MP-SC e 13 denunciados viram réus na Operação Ave de Rapina

O juiz responsável pelo processo determina que “citem-se os réus para, em 10 dias, responderem a acusação por escrito, nos termos do artigo 396 do Código de Processo Penal"

Daniel Queiroz/Arquivo/ND

Trabalho dos policiais terá sequência na Justiça

Um dia após receber do coordenador do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas), promotor Alexandre Grazziotin, a denúncia contra 13 pessoas indiciadas pela PF (Polícia Federal) na Operação Ave de Rapina, o juiz Marcelo Volpato, da Unidade do Crime Organizado, aceitou o mérito do que foi denunciado e transformou em réus 13 pessoas denunciadas pelo MP-SC. O despacho foi assinado por Volpato na quinta-feira (11). 

No despacho, Volpato ressalta que “para que haja o recebimento da denúncia não é necessária a análise aprofundada do mérito, restringindo-se à constatação da existência do delito e de indícios satisfatórios de sua autoria e das condições da ação”. Na sequência, o magistrado reforça que essa situação “está bem delineada nos autos pelo extenso relato dos fatos pelo Ministério Público, acompanhado de material colhido durante as interceptações telefônicas e procedimento investigativo”.

Entre outras medidas, Volpato determinou que fossem acrescentadas provas aos autos e alocou o processo para o fluxo de trabalho “Criminal – Organizações Criminosas”. Em seguida, o juiz responsável pelo processo determina que “citem-se os réus para, em 10 dias, responderem a acusação por escrito, nos termos do artigo 396 do Código de Processo Penal”.

+

Polícia