‘Keli e Mirla são heroínas’, diz delegado sobre vítimas de ataque a creche de SC

A professora Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos e a agente educacional Mirla Renner de 20 anos, morreram após serem atacadas por golpes de uma espada katana

Em uma publicação nas redes sociais, o delegado Jerônimo Marçal, responsável pelo caso da chacina a escola Infantil Pró-Infância Aquarela, em Saudades, no Oeste catarinense, afirmou que as duas profissionais de educação, vítimas fatais do ataque, são “heroínas”.

Delegado chamou Keli e Mirla de heroínas – Foto: Reprodução/InstagramDelegado chamou Keli e Mirla de heroínas – Foto: Reprodução/Instagram

A professora Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos e a agente educacional Mirla Renner de 20 anos, morreram após serem atacadas por golpes de uma espada katana na creche em que trabalhavam. Três alunos, todos menores de dois anos de idade, também foram vítimas fatais do ataque.

No momento do crime, a primeira atingida foi a professora Kerli. Com ferimentos, a funcionária correu pela instituição e conseguiu avisar outras professoras, que logo trancaram as salas, impedindo a entrada do jovem.

Entretanto, Mirla, que estava com três crianças na primeira sala, acabou sendo ferida, assim como os pequenos.

O velório de todas as vítimas foi coletivo no Parque de Exposições Theobaldo Hermes. Uma outra criança, de 1 ano e 8 meses, que também foi atingida pelo suspeito, está hospitalizada em estado grave, na UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

* com informações do portal RicMais

Relembre o caso

O ataque na escola infantil Pró-Infância Aquarela ocorreu na manhã da última terça-feira (4). O jovem chegou na creche de bicicleta e entrou pela porta da frente, por volta das 10h. A golpes de uma espada katana matou cinco pessoas.

As vítimas foram a professora Keli Adriane Aniecevski, 30 anos, a agente educadora Mirla Amanda Renner Costa, 20 anos, e os bebês Sarah Luiza Mahle Sehn, 1 ano e 7 meses, Anna Bela Fernandes de Barros, 1 ano e 8 meses, e Murilo Massing, 1 ano e 9 meses.

Outra criança, um menino de 1 ano e 8 meses, foi socorrido com vida. Ele passou por uma cirurgia na região do pulmão e deixou a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) na quarta-feira, em estado estável. O bebê segue em recuperação no Hospital da Criança, em Chapecó.

Keli e Mirla morreram no atentado a creche em Santa Catarina – Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução/FacebookKeli e Mirla morreram no atentado a creche em Santa Catarina – Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução/Facebook

Nesta quinta-feira (6), a Justiça negou o pedido de exame de sanidade mental do rapaz, solicitado pela defesa. Ele foi autuado em flagrante por cinco homicídios e uma tentativa de homicídio triplamente qualificados. A Polícia Civil segue investigando o caso e ouvindo testemunhas para tentar compreender as motivações do crime.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...