‘Levou chutes e socos até a morte’, revela delegado sobre mulher assassinada em SC

Maria Freitas Rosa, de 54 anos, foi brutalmente assassinada na última sexta-feira (12), na própria casa; jovem de 19 anos foi preso em flagrante

“As graves lesões no rosto levam a entender que ela levou chutes e socos até a morte”, disse o delegado da PC (Polícia Civil), André Beckmann, responsável pela investigação do brutal assassinato registrado na última sexta-feira (12), em Catanduvas, no Meio-Oeste de Santa Catarina. 

Mulher foi brutalmente assassinada dentro de sua casa (imagem ilustrativa) – Foto: Pixabay/Divulgação/NDMulher foi brutalmente assassinada dentro de sua casa (imagem ilustrativa) – Foto: Pixabay/Divulgação/ND

Maria Freitas Rosa, de 54 anos, foi encontrada morta, por volta das 22h, em um quarto de sua própria casa, localizada no bairro Sebaldo Kunz. O crime teria ocorrido após uma relação sexual consentida com um jovem de 19 anos.

O Corpo de Bombeiros Militar esteve no local e constatou que a mulher já estava morta. O corpo de Maria foi sepultado no sábado (13), na cidade de Paulo Frontim, no Paraná.

Segundo a Polícia Civil, o jovem de 19 anos foi visto por testemunhas saindo da casa da vítima vestindo apenas uma toalha pouco tempo depois terem escutado barulhos de violência vindos da casa de Maria.

Jovem é preso em flagrante

O suspeito localizado na casa dos pais, a poucos metros de distância da casa da vítima. Após a chegados policiais, o jovem se entregou sem resistência. Além de matar Maria, ele ainda furtou o celular dela.

Segundo o delegado, o jovem e a vítima estavam a sós na casa na hora do crime. “Em determinado momento e sem qualquer motivo aparente, o suspeito agrediu a vítima com socos e chutes até a morte”, afirmou Beckmann.

Crime de feminicídio

A possibilidade de violência sexual foi descartada pela investigação. “Os indícios apontaram que o casal manteve relação sexual consentida antes das agressões, o que levou a autoridade policial a qualificar o fato como feminicídio”, explica Beckmann.

O IGP (Instituto Geral de Perícias) identificou, ainda, vestígios de sangue nos pés do autor do crime. Visto que ele não apresentava nenhuma lesão, tudo indica que era da vítima.

De acordo com o delegado, a motivação do crime ainda não foi elucidada, uma vez que o suspeito não deu nenhuma informação. Porém, várias testemunhas indicaram que o suspeito de 19 anos seria o autor.

Ele foi preso em flagrante pelos crime de feminicídio e furto e foi levado ao presídio de Joaçaba onde se encontra a disposição do Poder Judiciário.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Polícia