Mãe procura por filha de 30 anos que desapareceu logo após o nascimento em SC

Criança desapareceu enquanto a mãe ficou em coma após cesariana; o pai da bebê também não foi mais visto e agora família tenta reencontrá-la

Nadir Sales sonha com o dia em que reencontrará Hellen, sua filha de 30 anos, que desapareceu logo após o nascimento. Mas, como está doente, a filha mais velha Ana Paula Sales, de 34 anos, é quem busca pela irmã mais nova. Ela nunca a viu, mas sempre soube de sua existência.

A família mora em Xanxerê, no Oeste catarinense, e a bebê, na época, nasceu no HRSP (Hospital Regional São Paulo) no dia 9 de novembro de 1991. Ana resolveu procurar pela irmã agora porque a mãe está muito doente e revelou o desejo de reencontrar a filha perdida.

Nadir e Ana Paula Sales procuram por jovem de 30 anos (filha e irmã) que desapareceu depois do nascimento em Xanxerê – Foto: Arquivo pessoal/Divulgação/NDNadir e Ana Paula Sales procuram por jovem de 30 anos (filha e irmã) que desapareceu depois do nascimento em Xanxerê – Foto: Arquivo pessoal/Divulgação/ND

“A minha mãe lembra que saiu do hospital e ficou 17 dias em casa. Na época ela morava com outras mulheres. Só que a cirurgia cesariana deu complicações e ela precisou retornar ao hospital e ficou em coma, foi quando a minha irmã desapareceu”, conta Ana Paula.

Na época, a mãe Nadir Sales estava em um relacionamento com o pai de Hellen. Depois que Nadir saiu do coma, nem a filha e nem o companheiro foram mais vistos.

“A gente não sabe de muita coisa, por isso começamos a procurar agora porque eu quero conhecer a minha irmã. Quando eu contei para minha mãe que estou à procura de Hellen, ela ficou muito contente”, diz Ana.

Nadir sofre de depressão, pressão alta e recentemente sofreu um AVC que a deixou com um coágulo na cabeça. Ela contou à Ana que quer conhecer a filha Hellen antes de morrer.

Ana Paula chegou a procurar o HRSP, onde sua irmã nasceu, porém, foi informada que somente Nadir poderia receber essas informações. Como ela está com problemas de saúde e impossibilitada de ir até o hospital, a procura voltou à estaca zero.

“Eu ainda não procurei a Polícia Civil porque eu não sei por onde começar. A gente sabe que o nome que minha mãe deu à bebê é Hellen, mas ainda não havia sido registrada na época, então pode ser que o nome dela seja outro”, conta.

Ana disse que não vai parar de procurar a irmã, mesmo com as poucas informações que tem. Ela pretende procurar a Polícia Civil nos próximos dias para tentar localizar o pai de Hellen.

HRSP não tem registro de pedido

Em contato com a assessoria de imprensa do HRSP, o ND+ foi informado de que não há registro solicitando acesso ao prontuário de Nadir. Ressaltou, ainda, que caso a filha de Nadir precise da cópia do prontuário, poderá conseguir com uma procuração ou via judicial.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia