Menina de 6 anos sai para passear com a avó e ambas desaparecem na Grande Florianópolis

Pai de Laura Paixão Costa Santos tentou contato com a avó materna da criança, Márcia Regina Paixão Ritchie, mas não obteve retorno; Polícia Civil investiga possível subtração de incapaz

Pai de Laura Paixão Costa Santos, de 6 anos, Wallace Petry Santos está em busca da filha, que desapareceu após sair para passear com a avó materna na última sexta-feira (1º), às 13h.

O combinado entre eles era que a avó levaria a menina da casa de Wallace, em Santo Amaro da Imperatriz, na Grande Florianópolis, com data e hora para retornar no domingo (3), às 16h. No entanto, a menina não foi devolvida e o pai não consegue contato com a avó da criança.

Laura, de 6 anos, desaparece na Grande Florianópolis – Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução/ND

Segundo relatos do pai, ele tentou contato com a avó, mas ela recusou todas as tentativas. Sem notícias da filha, ele relatou ter ido à casa da senhora, porém, ao chegar no local, descobriu que ela havia se mudado na última quinta-feira (30). Wallace registrou um BO (boletim de ocorrência) na Polícia Civil e acionou seu advogado.

Guarda da criança

Segundo o documento de sentença de guarda da menina, Laura residia, até poucos meses, sob os cuidados da avó materna, Márcia Regina Paixão Ritchie, e da mãe, Maria Eduarda Paixão Costa, em Palhoça. Porém, após a morte da mãe em novembro do ano passado, a guarda foi entregue “espontaneamente” ao pai.

Wallace manteve a guarda provisória até abril deste ano, quando conseguiu, legalmente, a guarda definitiva. O acordo permitia uma visita quinzenal pela avó que, conforme o documento, transferiu seu domicílio para Minas Gerais “em endereço incerto e não sabido”.

Laura, de apenas 6 anos, não é vista desde sexta-feira (1º) – Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução/NDLaura, de apenas 6 anos, não é vista desde sexta-feira (1º) – Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução/ND

A Polícia segue verificando se a situação foi somente um descumprimento da guarda ou se foi crime de subtração de incapaz, quando o menor de 18 é interditado ao poder do responsável legal. A pena varia de dois meses a dois anos de prisão.

O ND+ tentou contato com a avó da menina, porém, até a publicação desta matéria, não obtemos resposta. O espaço segue aberto. A família busca ajuda também nas redes sociais:

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...