Ministro da Justiça ofereceu apoio a Santa Catarina após ataque a creche

Governadora interina Daniela Reinehr está em Saudades, no Oeste catarinense; jovem de 18 anos matou cinco pessoas a golpes de espada

A governadora interina de Santa Catarina, Daniela Reinehr, chegou ao município de Saudades, no Oeste catarinense, na tarde desta terça-feira (4), para prestar apoio a cidade após o ataque a creche Pró-Infância Aquarela.

Governadora chegou ao município de Saudades na tarde desta terça-feira (4). – Foto: Willian Ricardo/NDMaisGovernadora chegou ao município de Saudades na tarde desta terça-feira (4). – Foto: Willian Ricardo/NDMais

Com ela, também chegou a equipe multidisciplinar da Secretaria de Desenvolvimento Social do Governo do Estado. Daniela colocou toda a estrutura de segurança e de assistência social à disposição da cidade.

Ela informou que recebeu ligação do ministro da Justiça, Anderson Torres, e que ele também disponibilizou o Ministério para prestar apoio. A governadora disse que o Estado também dará suporte nos atos fúnebres.

O que sabe até o momento

A chacina aconteceu na manhã desta terça-feira (4).  De acordo com o delegado de Pinhalzinho, Jeronimo Marçal Ferreira, o local foi isolado para perícia do IGP (Instituto Geral de Perícias).

“O agressor chegou de bicicleta na escola por volta das 10h, portando uma faca grande. Cerca de 30 crianças estavam na escola no momento e ele invadiu uma sala de aula onde tinham quatro crianças, a professora e mais uma funcionária da escola”, conta o delegado.

Creche foi alvo de ataque do jovem – Foto: Willian Almeida/NDCreche foi alvo de ataque do jovem – Foto: Willian Almeida/ND

As demais crianças e professoras conseguiram se trancar dentro das outras salas para se proteger do ataque. O jovem foi contido dentro da escola por vizinhos que ouviram os gritos. Foi quando ele tentou se matar. O jovem foi transferido para o HRO (Hospital Regional do Oeste), em Chapecó, em estado grave.

“Ele foi contido dentro da escola e, naquele momento, tentou tirar a própria vida. Os eletrônicos do suspeito passarão pela perícia para buscar a motivação desse crime. Ele não tinha ligação com as vítimas e também não tem histórico policial”, explica o delegado.

Segundo o Corpo de Bombeiros Militar, duas crianças e uma professora morreram na hora. A terceira criança foi levada ao hospital, porém também não resistiu. A quinta vítima, uma jovem que trabalhava na escola morreu no hospital, em Chapecó.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Polícia