Morte da catarinense Andressa Holz segue um mistério após 11 anos

Menina desapareceu em julho de 2010 na cidade de Luzerna, no Meio-Oeste; crime segue sem solução e processo foi arquivado

Há 11 anos a família de Andressa Holz aguarda respostas sobre a morte da menina, na época com 12 anos. O desaparecimento ocorreu no dia 17 de julho de 2010 em Luzerna, no Meio-Oeste de Santa Catarina, depois que Andressa saiu da catequese.

Andressa desapareceu com 12 anosA menina tinha 12 anos quando foi encontrada morta. – Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução/ND

Três meses depois o corpo da menina foi encontrado no meio das raízes de um tronco de árvore em um matagal. Próximo ao corpo, coberta de folhas, foi encontrada a bicicleta que Andressa usava naquele dia. O crime segue sem solução e o processo de investigação foi arquivado pela falta de materialidade. A morte segue sem respostas para toda a comunidade da pacata cidade de 7 mil habitantes.

Eliane Bender era a professora de catequese na época e teve o último contato com a menina. “É um dia difícil de esquecer. Tivemos apenas meia hora de catequese naquele dia devido a Copa do Mundo. Depois, ela pegou a bicicleta dela, me deu um beijo de tchau e foi para casa. Quando eu vi ela partindo nunca imaginei que ela não voltasse mais. Isso me marcou demais”, relatou à reportagem da NDTV.

Morte ainda é um mistério

Andressa desapareceu em uma estrada que liga a cidade de Luzerna a linha Leãozinho, onde ela morava com os pais. Segundo relatos, a menina foi vista próximo a um ponte de ônibus a 2 km de distância da casa onde vivia. Buscas foram feitas na região e o corpo da menina foi encontrado por vizinhos cerca de 3 meses e meio depois do desaparecimento.

Ademir Tadeu de Oliveira era o delegado regional de Polícia Civil na época e contou que o trabalho da polícia foi muito difícil, pois não havia indícios que pudessem levar a autoria do crime. O delegado aposentado salientou, ainda, que a convicção que a polícia sempre teve é que alguém da confiança dela a levou até o local do crime.

Corpo da menina foi encontrado em meio a raízes de um tronco de árvore. - Divulgação/ND
1 2
Corpo da menina foi encontrado em meio a raízes de um tronco de árvore. - Divulgação/ND
Bicicleta que a menina usava foi achada coberta de galhos próximo ao corpo. - Divulgação/ND
2 2
Bicicleta que a menina usava foi achada coberta de galhos próximo ao corpo. - Divulgação/ND

Segundo Oliveira, no local onde Andressa foi encontrada foi feito uma varredura de vários dias e a bicicleta nunca esteve na cena do crime. Curiosamente no dia que ela foi localizada a bicicleta apareceu no cenário.

“Achamos estranho porque próximo do local existe uma região íngreme que  suspeitamos que foi por onde ela desceu até chegar nessa cova rasa. Ela estava de chinelo de dedo, com a pasta da catequese e com a bicicleta. A lógica é que um desses pertences teria ficado no caminho se ela fosse levada a força até lá”, observou.

Família faz memorial

Na casa da família foi construído um memorial para homenagear a menina. A mãe lida até hoje com a saudade e a angústia pela falta de respostas. “Muita saudade dela, não tem explicação. Em fevereiro ela faria 22 anos se estivesse viva, é muito doído”, afirmou a mãe, Clair Holz.

De acordo com Clair, a família ainda espera por justiça e que as autoridades solucionem o caso. “É muito sofrido sem ela. Planejamos uma família e de repente acontece isso. Entendemos que Deus quis assim, mas não entendemos porque o ser humano é tão ruim a ponto de tirar a vida de uma criança.

Mãe de AndressaMãe de Andressa, Clair Holz, aguarda respostas sobre a morte da menina. – Foto: Reprodução/NDTV Chapecó

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...