MPSC ajuíza ação contra jovem que invadiu creche e matou cinco pessoas em Saudades

Explicações sobre a investigação serão expostas em coletiva de imprensa que acontece nesta sexta-feira (21), às 17h, na Câmara de Vereadores de Pinhalzinho

O promotor de justiça Douglas Dellazari, que recebeu o inquérito policial da investigação da chacina na creche Pró-Infância Aquarela, em Saudades, no Oeste de Santa Catarina, realiza nesta sexta-feira (21) uma coletiva de imprensa.

Ministério Público de Santa Catarina realiza coletiva de imprensa nesta sexta-feira (21), na Câmara de Vereadores de Pinhalzinho, a partir das 17h – Foto: Jornal A Sua Voz/Divulgação NDMinistério Público de Santa Catarina realiza coletiva de imprensa nesta sexta-feira (21), na Câmara de Vereadores de Pinhalzinho, a partir das 17h – Foto: Jornal A Sua Voz/Divulgação ND

As explicações sobre a denúncia e os detalhes da investigação que embasam a ação por parte do MPSC (Ministério Público de Santa Catarina) vão acontecer na Câmara de Vereadores de Pinhalzinho, a partir das 17h. Também será transmitido ao vivo pelo canal do MPSC no YouTube.

O inquérito policial da investigação foi enviado ao MPSC ainda na sexta-feira (14), ou seja, dez dias depois do ataque na escola de educação infantil. Agora, o MPSC ajuizará a ação penal pública contra o jovem que invadiu a creche e matou duas educadoras e três crianças, além de ter ferido uma quarta criança em Saudades.

O autor da chacina encontra-se no Presídio Regional de Chapecó, após permanecer oito dias internado no HRO (Hospital Regional do Oeste) para tratar lesões causadas por ele mesmo na hora do ataque, em tentativa de suicídio.

O autor do atentado foi autuado em flagrante por cinco homicídios e uma tentativa de homicídio — todos triplamente qualificados.

Relembre o caso

A escola infantil Pró-Infância Aquarela foi atacada na manhã do dia 4 de maio. Um jovem de 18 anos chegou na creche de bicicleta e entrou pela porta da frente, por volta das 10h. Na ocasião, cinco pessoas morreram esfaqueadas.

As vítimas foram a professora Keli Adriane Aniecevski, 30 anos, a agente educadora Mirla Amanda Renner Costa, 20 anos, e os bebês Sarah Luiza Mahle Sehn, 1 ano e 7 meses, Anna Bela Fernandes de Barros, 1 ano e 8 meses, e Murilo Massing, 1 ano e 9 meses.

Um menino, de 1 ano e 8 meses, foi socorrido ainda com vida e precisou passar por uma cirurgia na região do pulmão. O menino se recuperou bem e recebeu alta hospitalar.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...