Mulher morta em hotel de Lages enviou mensagem momentos antes a amiga: “guri estranho”

Thays Greice Barboza, de 29 anos, foi encontrada morta na cama com marcas de agressões. 'Guri estranho', disse ela à amiga. Crime ocorreu na noite desta quarta-feira (7)

Uma mulher de 29 anos foi assassinada em um hotel de Lages, na Serra catarinense, na noite desta quarta-feira (7). De acordo com a PM (Polícia Militar), ela era garota de programa e havia mandado uma mensagem a uma amiga e colega com um alerta antes do crime.

Às 19h25, a amiga recebeu a seguinte mensagem no WhatsApp: “Amiga, achei esse guri estranho”. Depois de não ter mais respostas, ela foi até o hotel e encontrou a vítima, identificada como Thays Greice Barboza, morta na cama.

Jovem foi assassinada em quarto de hotel na área central de Lages – Foto: Reprodução/Google Street ViewJovem foi assassinada em quarto de hotel na área central de Lages – Foto: Reprodução/Google Street View

Thays Greice Barboza era natural de São José, na Grande Florianópolis. Ela foi encontrada já sem vida no quarto do Hotel Cattoni, localizado no bairro São Cristóvão, área central de Lages, por volta das 22h.

A PM foi acionada junto com o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) pela amiga e colega de profissão.

Os policiais fizeram contato com a denunciante, que informou que encontrou a porta do quarto encostada e a vítima morta.

A mulher estava sobre a cama, defecada, com o rosto roxo e escoriações no nariz e boca, além de um rasgo na calcinha que estava usando, conforme a descrição dos policiais.

Alguns pertences, como uma mala, roupas, carteira (sem dinheiro), cartões de crédito e sacola de roupas, estavam espalhados sobre a cama. O aparelho celular da vítima não foi encontrado.

Investigação apura se foi feminicídio

No relatório da PM, a ocorrência foi registrada como homicídio doloso. De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Militar de Lages, para ser considerado feminicídio o crime depende de alguns requisitos que não puderam ser confirmados pelos agentes.

A investigação da Polícia Civil é conduzida pelo delegado Davyd Girardi.  “Ainda não temos como apontar se é latrocínio, homicídio ou feminicídio, estamos investigando para saber a motivação, e aguardando o laudo”, explicou o delegado.

Até a tarde desta quinta-feira (8), a Polícia ainda não tinha informações sobre o suspeito. Girardi informou que analisa imagens das câmeras de segurança do hotel e de estabelecimentos ao redor para auxiliar nos trabalhos.

A Lei Federal 13.104/2015, conhecida como Lei do Feminicídio, diz que o crime é caracterizado quando o assassinato de mulheres é cometido em razão do gênero.

+

Polícia

Loading...