Mulher frita órgão genital do marido em frigideira após matá-lo no RJ

Defesa alega que a suspeita sofria ameaças do homem e já havia o denunciado à polícia no ano passado; motivação do crime está sendo investigada

Uma mulher foi presa em flagrante, na manhã da última segunda-feira (7), na cidade de São Gonçalo, no Rio de Janeiro. Ela é suspeita de matar o marido, mutilar o pênis dele e depois fritar o órgão em uma frigideira. O crime ocorreu no bairro Santa Catarina.

Casal vivia entre idas e vindas – Foto: Reprodução/Redes SociaisCasal vivia entre idas e vindas – Foto: Reprodução/Redes Sociais

Dayane Cristina Rodrigues Machado, de 33 anos, teria cometido o crime durante madrugada, por volta das 4h. Ela foi autuada por homicídio qualificado vilipêndio de cadáver, ou seja, um crime contra o respeito aos mortos. A vítima foi identificada apenas pelo primeiro nome: André.

A polícia ainda não sabe qual foi a motivação do crime. A faca utilizada para cometer o crime foi apreendida. A Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí foi acionado e irá investigar o caso.

De acordo com o portal UOL, Dayane e André ficaram juntos por dez anos e estavam separados há dois. Segundo relatos da família, o casal vivia entre “idas e vindas”. Eles tiveram dois filhos, um menino de 8 anos e uma menina de 5 anos. Mesmo separados, eles mantinham uma pizzaria juntos.

Na noite do crime, ambos foram em uma lanchonete, acabaram discutindo e, em um momento de fúria, André chegou a agredir um dos filhos do casal.

“A discussão continuou quando chegaram em casa e ele novamente, a ameaçou. Em um momento de descontrole, forte emoção e com medo de que ele atentasse contra a vida dela após diversas ameaças, Dayane acabou o matando”, afirmou a advogada Carla Policarpo ao UOL.

A família e a advogada de Dayane relatam que ela sofria agressões físicas e psicológicas constantemente. Ela já havia denunciado André à polícia em 2020.

A versão foi refutada pela família de André. Segundo a irmã dele, Adriana Santos, o casal brigava muito e o motivo da briga teria sido por Dayane não suportar uma traição.

Ainda segundo a defesa de Dayane, ela teria se arrependido e, por vontade própria, se entregou à polícia. O caso ganhou repercussão internacional sendo mencionado por veículos como o Dailymail e o The sun.

+

Polícia