O jogo de sinuca que terminou em assassinato em Chapecó; entenda

Crime aconteceu em dezembro do ano passado e foi desvendado nesta semana pela Polícia Civil

Uma partida de sinuca que terminou em morte em Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, teve a motivação desvendada nesta semana pela DIC (Divisão de Investigação Criminal). Juliano Dias Pedroso, de 27 anos, foi assassinado com um taco de sinuca, na tarde de 6 de dezembro do ano passado, no bairro Alvorada. O suspeito foi preso por homicídio simples.

O jogo de sinuca que terminou em assassinato em Chapecó – Foto: Pixabay/DivulgaçãoO jogo de sinuca que terminou em assassinato em Chapecó – Foto: Pixabay/Divulgação

O delegado da PC (Polícia Civil), Vagner Tiago Papini, descobriu que os dois envolvidos no crime jogavam em um bar quando o pai de Juliano chegou embriagado no estabelecimento. O homem teria dado um soco no carro do suspeito, de 34 anos, que interviu dizendo: “pare de bater no meu carro”.  Na sequência iniciou a confusão com socos entre os três. 

O pai da vítima fugiu, mas foi acompanhado. Já Juliano foi atingido na nuca por um único golpe de taco de sinuca, e morreu na hora. O suspeito fugiu após a briga.

“Dois dias após o crime ele compareceu na Divisão de Investigação Criminal acompanhado de advogado e assumiu o homicídio. Disse, no entanto, que agiu para se defender”, explicou Papini, no entanto, a tese não foi comprovada na investigação.

Ele foi indiciado em inquérito policial por homicídio simples e responde pelo crime em liberdade. 

Acesse e receba notícias de Chapecó e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Polícia