O que já se sabe sobre o feminicídio de Cícera, que foi baleada grávida de sete meses em SC

Marido da vítima e principal suspeito pelo crime ainda não foi localizado

No estado que registrou aumento de 300% em casos de feminicídio, as histórias das vítimas não podem cair no esquecimento. No último sábado (5) Cícera Raquel da Silva, de 18 anos, moradora de Aurora, foi brutalmente morta com um tiro na cabeça. Ela estava grávida de sete meses.

Raquel estava grávida de sete meses quando foi morta com tiro na cabeça pelo companheiro na noite deste sábado (5), em Aurora. – Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal/NDRaquel estava grávida de sete meses quando foi morta com tiro na cabeça pelo companheiro na noite deste sábado (5), em Aurora. – Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal/ND

O principal suspeito de ter cometido o crime, marido de Cícera, continua foragido. No entanto, o carro que teria sido utilizado por ele após o assassinato, um VW gol, foi localizado no domingo (6) abandonado próximo da prefeitura de Agronômica.

O que já se sabe sobre o feminicídio

Segundo o delegado Thiago Cardoso, da Divisão de Investigação Criminal de Rio do Sul, responsável pela investigação, o casal morava na região do Morro Schutz em Aurora. Ambos eram naturais de Pernambuco, mas tinham se mudado junto com familiares para a região há cerca de oito anos.

Cícera desconfiava de traição

Familiares disseram que escutaram uma briga entre o casal antes do barulho do tiro. Segundo o delegado, aparentemente eles estariam brigando porque Cícera desconfiava de uma traição e teria visto algum indício no celular do marido.

Ainda segundo Cardoso, em depoimento familiares disseram que o casal tinha brigas, mas Cícera nunca relatou qualquer tipo de agressão por parte do marido.

Criança presenciou o crime

A jovem Cícera, que estava grávida de sete meses, tinha outro bebê de pouco mais de um ano. A criança estava dentro da casa quando a vítima levou o tiro. No entanto, esse bebê era fruto de outro relacionamento.

O revolver calibre 38 usado pelo marido foi encontrado e apreendido. Cícera foi encontrada pela Polícia Militar já sem sinais vitais.

Na ocasião, populares disseram que o suspeito confessou o crime e fugiu antes de a polícia chegar. O suspeito não tem antecedentes criminais expedidos em Santa Catarina.

Investigação

Um inquérito foi aberto pela Polícia Civil, e a investigação segue para a apuração dos fatos e identificação do assassino. Quaisquer informações podem ser compartilhadas com a Divisão de Investigação Criminal de Rio do Sul pelo telefone (47) 3531-6700.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Blumenau e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...