O que se sabe sobre o assalto em Criciúma, o maior em SC, que chocou o país

Criminosos cercaram a cidade, assaltaram banco, fecharam acessos e levaram pavor aos moradores durante a madrugada

O início da madrugada desta terça-feira (1º) foi marcado por medo, tensão, tiroteio e explosões na cidade de Criciúma, no Sul de Santa Catarina. Não há expressão que melhor defina o ocorrido do que “terror”.

Madrugada de tensão e tiroteio na cidade de Criciúma, com assalto a dois bancos no centro da cidade e dissipou o medo na população – Foto: CAIO MARCELLO/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDOMadrugada de tensão e tiroteio na cidade de Criciúma, com assalto a dois bancos no centro da cidade e dissipou o medo na população – Foto: CAIO MARCELLO/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO

O maior assalto da história de Santa Catarina teve início  às 23h40 de segunda-feira (30), quando 30 criminosos armados em dez veículos lançaram um caminhão em frente ao 9º Batalhão da Polícia Militar e atearam fogo.

Durante os disparos no Batalhão, uma guarnição de Rádio Patrulha e outra do PPT cruzaram com um dos veículos utilizados pelos criminosos na altura do Shopping Criciúma.

Durante a troca de tiros, um policial foi atingido e precisou ser internado no hospital Unimed, e posteriormente transferido para o Hospital São José. Ele passou por três cirurgias, porém perdeu muito sangue e seu estado de saúde é gravíssimo.

Soldado Jeferson Luiz Esmeraldino foi baleado e segue em estado grave – Foto: Reprodução/Redes SociaisSoldado Jeferson Luiz Esmeraldino foi baleado e segue em estado grave – Foto: Reprodução/Redes Sociais

Por volta da meia-noite, os assaltantes partiram para o Centro da cidade. Eles utilizaram explosivos para efetuar o roubo no Banco do Brasil, fizeram diversos disparos e reféns na via pública. 

Próximo as 2h da madrugada, os criminosos fugiram do local em direção a cidade de Nova Veneza. Foram deixados cerca de 200 quilos de explosivos em alguns pontos da cidade.

Os veículos utilizados pelos criminosos foram encontrados em meio a uma plantação no início da manhã desta terça-feira na cidade vizinha. A polícia acredita que eles tenham fugido em outro veículo.

Veículos foram encontrados em meio a uma plantação – Foto: Divulgação NDVeículos foram encontrados em meio a uma plantação – Foto: Divulgação ND

Após a fuga, parte do dinheiro roubado ficou espalhado pelas ruas. Quatro pessoas foram flagradas recolhendo esse dinheiro e foram detidas. Com elas, foram encontrados cerca R$ 810 mil.

Por volta das 8h, quatro artefatos explosivos foram desativados pelo esquadrão de bombas do Cobra, sendo três nas proximidades da praça do congresso, e um na agência do Banco do Brasil. No total, foram encontrados 200 kg de explosivos.

Esquadrão antibombas estiveram no local para desativar e recolher artefatos – Foto: Divulgação/NDEsquadrão antibombas estiveram no local para desativar e recolher artefatos – Foto: Divulgação/ND

Por volta das 11h, esses artefatos foram levados até um local apropriado na região Norte de Criciúma para serem destruídos.

O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) e órgãos de segurança do Estado concederam entrevista coletiva ao fim da manhã para falar sobre o tema.

A polícia acredita que a ação foi planejada com antecedência e que os criminosos seriam de fora do Estado. O IGP (Instituto Geral de Perícias) foi acionado e está ajudando nas investigações.

Moisés participa de coletiva de imprensa na prefeitura de Criciúma – Foto: Facebook/Reprodução/NDMoisés participa de coletiva de imprensa na prefeitura de Criciúma – Foto: Facebook/Reprodução/ND

O IGP deslocou uma série de peritos criminais e agentes de perícia para a cidade. “Todo crime deixa vestígios e evidências, nosso trabalho é fazer um redesenho do local do crime”, disse o órgão.

+

Polícia