Operação da PF apreende aproximadamente 100 aves clandestinas em Florianópolis

Entre as espécies havia diversos canários Peruanos, cuja a entrada no Brasil é proibida

Divulgação/ND

Criados em cativeiro no bairro Abraão, canários chegam a valer R$ 100 mil

Um homem de 65 anos, considerado um dos principais receptadores de aves que chegam de forma clandestina no país, foi preso pela Polícia Federal de Santa Catarina, na manhã desta segunda-feira (2) em uma residência no bairro Abraão, área continental de Florianópolis. Na casa, foram apreendidas cerca de 100 aves em cativeiro. A Operação Estalo, que tem como objetivo desarticular quadrilhas especializadas no tráfico de aves silvestres e exóticas, foi realizada em nove estados e Distrito Federal. O nome do detido em Santa Catarina não foi divulgado pela polícia.

O homem preso em Florianópolis já havia sido autuado pela Policia Federal de São Paulo em 2009. Nesta segunda, ele foi mais uma vez flagrado cometendo o mesmo tipo de crime. Segundo levantamento realizado durante a investigação, os pássaros eram comercializados e utilizados em rinhas de canários. Entre as cerca de 100 aves encontradas, havia diversos Canários Peruanos (Sicalis Flaveola Valida) cuja introdução no país é vedada. Preso pela segunda vez, o dono das aves e dos cativeiros responderá pelos crimes de Descaminho Qualificado (art. 180, § 1º, do Código Penal) e abuso ou maus-tratos (art. 32 da Lei 9605/2008 – Lei dos Crimes Ambientais), cujas penas podem chegar a oitos anos de prisão.

Nas rinhas os canários passam a ser avaliados de acordo com a habilidade apresentada, podendo ser negociados por preços que podem chegar a R$ 100 mil, cada ave. As apostas também alcançavam vultosas quantias, com valores em torno de R$ 50 mil.

Corrupção policial impulsionava prática ilegal

Para introduzir as aves clandestinamente no país, a organização criminosa contava com o apoio de um policial civil, que chegava a receber cerca de R$ 3 mil reais por carregamento. No decorrer das investigações, mais de doze mil aves contrabandeadas pelas quadrilhas foram apreendidas em rodovias e aeroportos de diversos estados.

Em todo o país foram 62 mandados judiciais: 33 de busca e apreensão, 20 de prisão preventiva, 2 de prisão temporária e 7 conduções coercitivas nos estados de Pernambuco, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Ceará, Amazonas, Santa Catarina, Roraima e Distrito Federal. 

Acesse e receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Polícia