Operação da PF cumpre mandados em SC em investigação de fraude em hospitais de SP

Agentes cumpriram mandados de busca e apreensão nesta terça (21) em Florianópolis e em Biguaçu durante investigação que apura fraude em licitação na montagem de hospitais de campanha

Agentes da superintendência da Polícia Federal em Santa Catarina cumpriram mandados de busca e apreensão nesta terça-feira (21), em Florianópolis e em Biguaçu, em investigação que apura a fraude em licitação na montagem de hospitais de campana em Paulínia (SP).

Coordenada pela delegacia da PF de Campinas (SP), a ação denominada de Operação Implosiva cumpriu as ordens judiciais em endereços ligados às pessoas físicas e jurídicas relacionadas à licitação fraudada, com o objetivo de colher provas e identificar todos os envolvidos.

Mandados de busca e apreensão foram cumpridos em SP e em SC – Foto: Reprodução/TV Record/NDMandados de busca e apreensão foram cumpridos em SP e em SC – Foto: Reprodução/TV Record/ND

Pela manhã desta terça (21), 60 policiais federais deram cumprimento a 14 mandados de busca e apreensão ao todo, expedidos pela 9ª Vara Federal de Campinas. As ordens judiciais foram cumpridas também nas cidades paulistas de Campinas, Paulínia, Sumaré, São José do Rio Preto e São Paulo, além das catarinenses. A Polícia Federal não informou quantos mandados foram cumpridos na Grande Florianópolis.

Agentes da PF cumpriram 14 mandados ao todo – Vídeo: Reprodução/TV Record/ND

A licitação foi realizada para a montagem de dois hospitais de campanha durante a pandemia da Covid-19, entre abril e maio de 2020, por R$ 4 milhões. Em abril de 2020, a Polícia Civil e a Guarda Municipal de Paulínia abordaram um caminhão suspeito de conter carga roubada e, a partir desta ocorrência, teve início a investigação da Polícia Federal. O veículo transportava estruturas metálicas para eventos, que revelou os indícios da trama e, por isso, o nome da operação.

Apesar de a contratação não ter sido finalizada, a investigação demonstrou que aconteceu por circunstâncias alheias à vontade dos envolvidos. Assim, ficou configurado o crime de fraude à licitação, de acordo com a PF, previsto no artigo 90, da Lei 8.666/93. A pena é de 4 anos de prisão.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...