VÍDEOS: Veja momentos da 2ª fase da Operação Alcatraz da PF, em SC

Operação Hemorragia é a 2ª fase da Operação Alcatraz que apura organização criminosa. Confira os momentos das buscas

A Polícia Federal e da Receita Federal realizaram na manhã desta terça-feira (19) a segunda fase da Operação Alcatraz, denominada Hemorragia. A ação tem como alvo a repressão de uma organização criminosa especializada na prática de crimes de corrupção, fraude em procedimentos licitatórios e lavagem de dinheiro.

Polícia Federal e Receita Federal estão juntas na 2ª fase da Operação Alcatraz – Foto: Divulgacão/JusCatarina/NDPolícia Federal e Receita Federal estão juntas na 2ª fase da Operação Alcatraz – Foto: Divulgacão/JusCatarina/ND

presidente da Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina), Julio Garcia, e o ex-governador de Santa Catarina Eduardo Pinho Moreira foram alvos da segunda fase da Operação Alcatraz, denominada Hemorragia.

A primeira fase da Operação Alcatraz foi deflagrada em maio de 2019, mas as investigações tiveram início em julho de 2018. O objetivo era combater fraudes a licitações e desvios de recursos públicos ligados a contratos de prestação de serviços de mão de obra terceirizada e do ramo de tecnologia.

Entre os investigados estão um ex-secretário de Estado, um ex-secretário adjunto, além de empresários – dois deles seriam de Joinville. Conforme a Polícia Federal, três empresas de tecnologia de grande porte, com sede em Florianópolis, também são alvo da operação.

O advogado de Jefferson Colombo, da Apporti Soluções em Tecnologia, disse que a prisão domiciliar do seu cliente, na Operação Hemorragia, em nada se justifica, porque ele não representa nenhum risco à sociedade, nem ao processo e às investigações em curso.

presidente da Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina), Julio Garcia, teve a prisão domiciliar decretada e vai utilizar tornozeleira eletrônica.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Polícia