Pai de Maitê, morta degolada pelo ex-padrasto, desabafa: ‘Me perdoe filha se não te protegi’

Maitê Brambila dos Anjos, de 2 anos, foi encontrada morta com um corte no pescoço. O suspeito, ex-padastro da menina, se entregou à polícia na manhã desta quarta-feira (27).

O pai da menina Maitê Brambila dos Anjos, de 2 anos, encontrada morta com um corte no pescoço na cama do apartamento em que morava com a mãe, em Treze Tílias, no Meio-Oeste Catarinense, na noite de terça-feira (26), escreveu um desabafo emocionante na internet, no início da manhã desta quarta-feira (27).

Maitê morreu com um corte no pescoço, segundo a Polícia Civil — Foto: Internet/NDMaitê morreu com um corte no pescoço, segundo a Polícia Civil — Foto: Internet/ND

Em sua conta no Facebook, Juliano Cezar Matias, de 23 anos, pediu perdão por não ter conseguido proteger a filha e disse que está com o coração em pedaços.  “Me perdoe minha filha, se não fui um bom pai, se não te protegi o suficiente desse mundo tão cruel. Meu coração está em pedaços meu anjinho”, escreveu.

O homem, morador de Treze Tílias, também disse que se sente culpado por não ter conseguido proteger a filha. “Você se foi e deixou seu papai aqui sem saber de nada. Eu jamais vou me perdoar por não ter conseguido te proteger da maldade desse monstro”, comentou.

O pai da Maitê definiu a morte da filha como “covardia” e prometeu que não vai “deixar isso barato”. “Mas uma coisa eu te prometo, minha filha amada, eu não vou deixar isso barato, pois o que ele fez com você foi covardia demais para ser feita com um anjinho inocente que não sabia se defender e que não sabia de nada do que estava acontecendo”, completou.

Juliano Matias finalizou dizendo que a filha sempre será lembrada por ele. “Eu te amarei eternamente minha princesinha, minha pulguinha. Eu te amo muito, meu toco de gente”, concluiu.

Local onde ocorreu a morte – Foto: Lucas Polak/NDLocal onde ocorreu a morte – Foto: Lucas Polak/ND

Ele foi amparado por amigos. “Eu não sei o que te falar neste momento amigo! Mas estamos com você! Que Deus te dê forças para aguentar”, escreveu na mesma rede social a amiga Day. “Força meu amigo, que a justiça seja feita pela pequena Maitê. Deus consolará seu coração. Estamos todos com você”, disse Michelli. Outras pessoas se manifestaram na internet pedindo justiça no caso.

A tragédia 

Maitê Brambila dos Anjos foi encontrada morta pela mãe, por volta das 20h de terça-feira. A menina estava deitada na cama, embaixo das cobertas, com um corte no pescoço, segundo o avô paterno, Julio Cezar Matias dos Anjos, morador de Água Doce (SC).

Faca usada no crime foi apreendida pela Polícia Militar – Foto: Lucas Polak/NDFaca usada no crime foi apreendida pela Polícia Militar – Foto: Lucas Polak/ND

O Corpo de Bombeiros Voluntários confirmou a morte da criança, que era segurada pela mãe no colo quando os socorristas chegaram no endereço.  Maitê sofreu um corte grave e profundo no pescoço. A faca usada no crime foi apreendida.

A mãe da criança disse à Polícia Militar que a filha ficou no apartamento com o ex-companheiro, de 31 anos, para ir trabalhar. Embora estivessem separados há cerca de dois meses, o homem frequentava a casa da família.

No dia do crime, o homem teria se oferecido para levar a criança à creche, o que normalmente era feito por um tio. Ele teria justificado que a levaria para a escola, pois iria comprar presentes para ela.

O suspeito fugiu após o crime e se entregou à polícia na manhã desta quarta-feira. Ele ligou à central de plantão policial e informou que estava em uma casa no bairro São José. “Ligou para a Polícia Militar dando o endereço para irem lhe buscar, provavelmente estava com medo de ser linchado”, disse o delegado Marcelo Marins.

Ele afirmou que, até a metade da manhã, o suspeito ainda não havia sido ouvido oficialmente, mas estava preso em flagrante e irá para o presídio de Joaçaba. As polícias Civil e Científica trabalham na investigação do caso.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...