PF desmonta esquema de tráfico comandado por irmãos gêmeos em SC e mais dois Estados

Sequestro de bens da família chegam a R$ 50 milhões; grupo usava o agronegócio como fachada para tráfico de cocaína entre o Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul

Focada na desarticulação de organizações dedicadas ao tráfico de drogas, a Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (7), a Operação Geminus que busca combater um grupo familiar dedicado ao tráfico de cocaína do Mato Grosso do Sul para o Rio Grande do Sul.

Foram 11 mandados de prisão preventiva e 29 de busca e apreensão cumpridos por policiais federais no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. Envolvendo a capital catarinense e o Litoral Norte do Estado. Além dos mandados, ordens judiciais foram cumpridas determinando o sequestro de 52 imóveis e de 70 veículos.

Entre os veículos de luxo estão: automóveis, jet skis, caminhões, carretas e tratores. Além disso, a Justiça autorizou o bloqueio de valores em contas bancárias de 33 pessoas físicas e jurídicas envolvidas no esquema de tráfico de drogas. Os bens sequestrados estão estimados em R$ 50 milhões.

Justiça bloqueia bens e imóveis de irmãos gêmeos que comandavam organização dedicada ao tráfico de drogas em SC, RS e MS – Vídeo: PF/Reprodução

Negócios de família

A investigação apurou que organização criminosa é comandada por núcleo familiar estabelecido nas cidades de Deodápolis (MS) e Viamão (RS). A família utilizava o agronegócio e outras atividades econômicas formais como fachada para ocultar os valores obtidos com o tráfico internacional de drogas, principalmente de cocaína.

O esquema funcionava da seguinte forma: o grupo transportava a droga escondida em caminhões a partir da fronteira do Mato Grosso do Sul, para uma propriedade rural no município de Viamão (RS), de lá, a droga era distribuída para traficantes locais do Rio Grande do Sul, principalmente das regiões de Porto Alegre e Vale dos Sinos.

Bens e imóveis bloqueados chegam a R$ 50 milhões de reais - PF/Reprodução
1 2
Bens e imóveis bloqueados chegam a R$ 50 milhões de reais - PF/Reprodução
Investigações da PF começaram já em 2019 - PF/Reprodução
2 2
Investigações da PF começaram já em 2019 - PF/Reprodução

Durante as investigações, que começaram em agosto de 2019, a Polícia Federal apurou que a organização criminosa movimentou 5 toneladas de cocaína em um ano.

Os valores obtidos com o tráfico de drogas eram inseridos na economia formal através de simulação de prestação de serviço de transporte, declaração de produção de grãos inexistente, atividade pecuária na região de Deodápolis, empresa de locação de máquinas e equipamentos para a construção e outras aquisições de bens móveis e imóveis em nome de terceiros.

271 kg de cocaína foram apreendidas em dezembro de 2019 em Porto Alegre – Foto: Reprodução/PF271 kg de cocaína foram apreendidas em dezembro de 2019 em Porto Alegre – Foto: Reprodução/PF

A operação foi denominada Geminus, pois dois integrantes do alto escalão da organização investigada são irmãos gêmeos idênticos, sendo que um deles gerencia os negócios ilícitos no Rio Grande do Sul e o outro no Mato Grosso do Sul.

Irmãos gêmeos usavam o agronegócio como disfarce para o tráfico de drogas – Foto: Reprodução/PFIrmãos gêmeos usavam o agronegócio como disfarce para o tráfico de drogas – Foto: Reprodução/PF

Os crimes investigados na Operação Geminus são tráfico internacional de drogas, organização criminosa e lavagem de dinheiro. Mandados de prisão foram cumpridos em Porto Alegre (RS); Capão da Canoa (RS); Taquara (RS); Dourados (MS); Maracaju (MS); Deodápolis (MS); Florianópolis (SC); Camboriú (SC).

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Porto Alegre, Viamão, Capão da Canoa, Taquara, Parobé, Florianópolis, Camboriú, Itajaí (SC), Ponta Porã, Dourados, Maracaju, Deodápolis.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itajaí e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...