PF faz busca em casa utilizada para armazenar e compartilhar pornografia infantil em SC

A PF de Criciúma apreendeu diversos materiais de informática em uma casa na segunda fase da operação P2J em Tubarão, no Sul de SC

A Polícia Federal de Criciúma deflagrou mais uma fase da operação P2J (Pedo to Jail). Na manhã desta quinta-feira (2) foi cumprido um mandado de busca e apreensão em uma casa em Tubarão, no Sul de Santa Catarina. O local seria um dos pontos utilizados para armazenamento e compartilhamento de pornografia infantil. 

Foi identificado pela PF que o terminal de internet da casa estaria sendo utilizado para aquisição e compartilhamento de arquivos de vídeos e imagens relacionados a abuso e exploração sexual infantil com outros usuários. Isso através de uma rede P2P (peer-to-peer).

Na residência foram apreendidos equipamentos de informática, celulares e mídias de armazenamento. Todo o material apreendido será submetido a perícia. A investigação visa acabar com uma rede de compartilhamento de pornografia infantil no Sul de SC.

Através da rede P2P de computadores, os usuários estariam, além de armazenar, compartilhando pornografia infantil. Ninguém foi preso durante a operação.

O crime de compartilhamento de arquivos de pornografia infantil pode ser punido com pena de três a seis anos de prisão.

Já o crime de posse de arquivos de pornografia infantil poder ser punido com pena de um a quatro anos de prisão.

Suspeito preso em Cocal do Sul na primeira fase

Na primeira fase da operação realizada na última terça-feira (24) a PF prendeu um homem de 48 anos suspeito de armazenar e compartilhar pornografia infantil.

Ele foi preso em flagrante durante o cumprimento de mandado judicial de busca e apreensão, expedido pela 1.ª Vara Federal de Criciúma, por armazenamento de arquivos com pornografia infantil. Ele utilizava um aplicativo de rede P2P para fazer o download e compartilhamento de pornografia infantil. 

As investigações foram iniciadas a partir de relatórios de informação produzidos pela PF, nos quais identificaram o homem que compartilhou as cenas de violência sexual.

A operação P2J conta com apoio da organização internacional Child Rescue Coalition. A instituição auxilia forças tarefas internacionais na luta pela erradicação de materiais contendo cenas de Abuso e Exploração Sexual Infantil na Internet, bem como identificar possíveis abusadores.

O que é uma rede P2P?

Uma rede P2P é formada por diversos computadores que através de um aplicativo compartilham documentos, vídeos, fotos, entre outros. Desta forma é formada uma rede entre os computadores através da internet.

Neste caso não há um servidor geral de armazenamento dos arquivos. São os usuários que mantém esses arquivos nos computadores e disponibilizam para download através do programa. Permitindo que outros usuários acessem o computador. Desta forma, cada máquina funciona como servidor e cliente ao mesmo tempo.

Esse sistema é muito utilizado no download de filmes, séries e músicas. Principalmente, piratas. Esse tipo de rede, tem sido utilizada, segundo a PF,  por criminosos para a obtenção e compartilhamento de material relacionado a abuso e exploração sexual infanto-juvenil.

Polícia Federal apreendeu equipamentos de informática e prendeu um homem de 48 anos na primeira fase da operação em Cocal do Sul, no Sul de SC – Foto: Divulgação/PF/ND
1 2
Polícia Federal apreendeu equipamentos de informática e prendeu um homem de 48 anos na primeira fase da operação em Cocal do Sul, no Sul de SC – Foto: Divulgação/PF/ND
PF apreendeu equipamentos de informática, celulares e mídias dearmazenamento em ponto que seria utilizado por rede de compartilhamento de pornografia infantil em Tubarão, no Sul de SC – Foto: Divulgação/PF/ND
2 2
PF apreendeu equipamentos de informática, celulares e mídias dearmazenamento em ponto que seria utilizado por rede de compartilhamento de pornografia infantil em Tubarão, no Sul de SC – Foto: Divulgação/PF/ND
+

Polícia

Loading...