PM detalha prisão de suspeitos de homicídio em Rio Negrinho

Os dois são suspeitos de matarem um homem nesta quinta-feira; segundo a Polícia Militar, corpo estava parcialmente carbonizado e tinha sinais de cortes

Dois suspeitos de terem matado um homem em Rio Negrinho, no Planalto Norte de Santa Catarina, foram presos na tarde de quinta-feira (12), após um policial militar avistar uma movimentação suspeita na BR-280, em Mafra.

Corpo foi encontrado no pátio de uma residência em Rio NegrinhoCorpo foi encontrado no pátio de uma residência em Rio Negrinho – Foto: 9BBM/Divulgação

Segundo cabo Renan dos Santos, da Polícia Militar, o colega estava a caminho do trabalho, por volta das 11h, quando viu dois homens com mochilas em um trevo da rodovia. O crime teria acontecido pouco tempo antes.

“Chegando aqui, ele soube da ocorrência do homicídio e acionamos a Polícia Militar de Mafra”, comentou. “Foi confirmado que um deles era morador da casa onde foi encontrado o corpo”, complementou.

Dentro das mochilas haviam mantimentos, como roupas e comida, dando a entender que estariam fugindo da cidade.

A reportagem do ND+ tentou contato com a Polícia Civil, mas não obteve retorno até o fechamento da matéria.

Segundo a Polícia Militar, o corpo encontrado aparentava ter sinais de cortes, embora não seja possível confirmar, já que estava estava carbonizado. Para não comprometer a investigação, a identidade do homem assassinado não foi revelada.

Sobre o caso

Quem achou o corpo, na quinta-feira, no bairro Industrial Norte, foi uma moradora da região.

Ela contou à polícia que encontrou o corpo que parecia carbonizado no pátio e, a princípio, pensou que fosse um manequim. Ao chegar perto, percebeu que havia sangue no local e constatou que era mesmo um homem morto.

De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar, a vítima tinha um ferimento no crânio e o corpo parcialmente carbonizado.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...