Polícia apura incêndio com cinco feridos em Florianópolis

Homem ateou fogo na casa da ex-companheira por não aceitar o fim da relação; vítima tem medida protetiva contra o autor do crime

A Polícia Civil iniciou as investigações do incêndio que destruiu uma casa e deixou cinco pessoas feridas na manhã desta sexta-feira (19), em Florianópolis.

Polícia investiga incêndio criminoso que ocorreu na manhã desta sexta-feira (19), em Florianópolis – Foto: Reprodução/NDPolícia investiga incêndio criminoso que ocorreu na manhã desta sexta-feira (19), em Florianópolis – Foto: Reprodução/ND

De acordo com o delegado Flávio Lima e Silva Júnior, que está à frente da 6ª DPCAMI (Delegacia de Polícia da Criança, do Adolescente, da Mulher e do Idoso) da Capital, entre os feridos está o suspeito do crime, de 46 anos.

O homem teria incendiado a residência onde Josiane Cecchi, de 42 anos, morava com o atual companheiro, de 44 anos, e três filhos no bairro Cachoeira do Bom Jesus, no Norte da Ilha de Santa Catarina.

Segundo a polícia, o suspeito e Josiane tiveram um relacionamento e ele não aceitava o término da relação. Ela, inclusive, possui uma medida protetiva contra o homem.

O caso é tratado como tentativa de homicídio e tentativa de feminicídio. Até a tarde desta sexta, o suspeito não havia sido preso.

Incêndio criminoso

A intensidade do fogo e a altura das chamas assustaram quem passou pelo local. Vizinhos do casal relataram à reportagem da NDTV que ouviram gritos de socorro e que, de início, pensaram se tratar de uma briga.

O homem teria chegado de moto e invadido o terreno da residência. O atual companheiro de Josiane até teria percebido a movimentação do suspeito, mas não conseguiu impedir o ataque.

“Eu estava no meu trabalho e ela [Josiane] me ligou às 6h pedindo socorro. Ela disse que era para eu vir para a casa dela porque estava queimando tudo e que eles também estavam queimados. Ela não falou das crianças”, disse Claudete Ribeiro, mãe de Josiane, em entrevista à NDTV.

Por telefone, a vítima conversou com a reportagem da NDTV. Josiane disse que acordou com o homem estourando a porta. Ela e o atual companheiro entraram em luta corporal com o homem para impedir que ele entrasse no local.

Contudo, o homem já teria espalhado gasolina e colocado fogo na residência. Em seguida, ele se trancou no banheiro.

“Bombeiros tiveram que usar força física, porque ele não queria sair”, informou o 1º tenente Edson Cesar Napoleão Junior, comandante do PPT do 21º Batalhão.

O imóvel de alvenaria ficou completamente destruído pelas chamas. A família morava no local há nove anos.

Medida protetiva

Conforme o delegado da Polícia Civil, em novembro de 2020, o suspeito do incêndio criminoso chegou a ser preso por ameaçar Josiane, mas foi liberado em janeiro deste ano. Uma medida protetiva contra ele foi concedida à vítima. Ele é colega de trabalho da mulher.

Em uma troca de mensagens com uma amiga ainda no final do ano passado, Josiane dizia ter medo do que o homem seria capaz de fazer contra ela.

“Eles tiveram um ‘casinho’, mas ela não queria nada com ele. Ele já tinha sido preso porque sequestrou ela e levou para um motel com uma faca dizendo que ia se matar. Ele ficou preso e saiu com a medida protetiva, mas não cumpriu”, relatou a mãe de Josiane.

Estado das vítimas

Josiane, o atual companheiro, a filha mais velha dela e o namorado foram encaminhados ao Hospital Governador Celso Ramos. Os outros dois filhos de Josiane, um menino de seis anos e uma menina de cinco anos, que também estavam na casa, não ficaram feridos. Eles foram levados para a casa de uma tia.

O estado de Josiane, da filha e do namorado é considerado estável. Já o companheiro de Josiane foi sedado e o quadro é considerado grave. Ele teve 80% do corpo queimado.

As vítimas do crime foram ouvidas pela polícia no início desta tarde. O suspeito do crime também ficou ferido. Segundo a polícia, ele recebeu atendimento médico na UPA de Canasvieiras.

Nesta tarde, agentes da Polícia Civil se deslocavam até o local para buscar informações sobre o paradeiro dele. A expectativa é de que seja efetuada a prisão em flagrante do suspeito.

*Com informações da repórter Fabiane Paza, da NDTV

Acesse e receba notícias da Grande Florianópolis pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Polícia