Polícia já tem suspeitos de matar motorista de aplicativo na Grande Florianópolis

Polícia Civil trabalha para confirmar e prender três homens que mataram e roubaram, no último final de semana, depois de solicitarem uma corrida de aplicativo em Palhoça com destino a São José

Agentes da Polícia Civil de São José estão em busca dos responsáveis pelo latrocínio registrado no último final de semana no bairro Colônia Santana. Inicialmente tratado como tentativa de homicídio, com a confirmação do óbito da vítima, o caso é tratado como latrocínio já que os bandidos levaram o veículo.

Amr Abdelaziz Mostafa Elaysed, de 52 anos – Foto: NDTV/divulgaçãoAmr Abdelaziz Mostafa Elaysed, de 52 anos – Foto: NDTV/divulgação

Sob os cuidados do delegado Willian Cezar Sales, agentes da DIC (Divisão de Investigação Criminal) estão atrás dos responsáveis pela morte de Amr Abdelaziz Mostafa Elaysed, de 52 anos, natural do Egito.

O egípcio era motorista de aplicativo e, na madrugada do último sábado, após aceitar uma corrida no bairro Caminho Novo, em Palhoça, foi surpreendido, já no município vizinho, com um tiro na região do abdômen.

O condutor foi levado até o Hospital Regional de São José onde, na tarde da segunda-feira (19), confirmou a morte do homem.

Suspeitos identificados

De acordo com o delegado que preside o caso, alguns nomes já são encarados como suspeitos. Um dos envolvidos, inclusive, teria sido preso pela Polícia Militar de Santa Catarina e levado até a delegacia de polícia.

No entanto a investigação da PC aponta que esse elemento mentiu sobre sua identidade ao dar o nome do irmão que, sem passagens policiais, logo foi liberado. O “mentiroso”, em seu RG original, tem um mandado de prisão em aberto.

Nesta terça-feira o carro da vítima foi periciado e o laudo deve dar mais alguns subsídios para a Polícia Civil, em busca dos responsáveis.

“Pessoal da Polícia Civil está em cima do caso. Temos alguns suspeitos e, com a perícia feita no veículo, a ideia é comparar digitais. Os agentes seguem coletando informações na busca de mais evidências”, comentou o delegado William.

Relação com a Operação Héracles

Em entrevista concedida ao repórter do Grupo ND, Osvaldo Sagaz, o delegado William, sem entrar em muitos detalhes, lembrou que operação deflagrada por agentes da Polícia Civil, em São José, que cumpriu 20 mandados de busca e apreensão contra organizações criminosas, aponta para alguma relação com o crime.

Agentes da Polícia Civil em trabalho da Operação Héracles; pistas sobre o latrocínio estão sendo identificadas – Foto: PCSC/divulgaçãoAgentes da Polícia Civil em trabalho da Operação Héracles; pistas sobre o latrocínio estão sendo identificadas – Foto: PCSC/divulgação

William Sales, no entanto, evita falar mais para não atrapalhar o andamento dos trabalhos.

Entenda o caso

Amr Abdelaziz Mostafa Elaysed, de 52 anos, aceitou uma corrida na madrugada do último sábado, no bairro Caminho Novo, em Palhoça. O destino final da corrida era o bairro Colônia Santana, em São José, momento em que o condutor foi surpreendido pelos três caroneiros.

Amr foi atingido no abdômen onde teve a morte confirmada na última segunda-feira.

Em entrevista concedida a NDTV o motorista de aplicativo e amigo de Amr, Mohammed Helmy Anwar, lembrou que o egípcio era uma pessoa tranquila e que vivia na região sob o argumento de ser mais seguro.

“Há dois em Santa Catarina, sempre disse que aqui era mais tranquilo, com mais segurança, mas na verdade ele morreu na rua e com um tiro”, lamentou o amigo.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...