Polícia encontra arara e outros animais silvestres na casa onde Luna foi morta, em Timbó

Operação policial ocorreu nesta quarta-feira (20) no local do crime

Uma arara e outros animais silvestres foram encontrados na casa onde Luna Bonett Gonçalves morreu, em Timbó, no Médio Vale do Itajaí. Agora, a polícia investiga se esses animais estavam sob posse legal do padrasto e mãe da menina.

Arara e outros animais silvestres foram encontrados na casa onde Luna Bonett Silva, de 11 anos, foi morta, em Timbó – Foto: ReproduçãoArara e outros animais silvestres foram encontrados na casa onde Luna Bonett Silva, de 11 anos, foi morta, em Timbó – Foto: Reprodução

Nas imagens divulgadas pela Polícia Civil de Timbó é possível ver uma gaiola com uma arara. Mas além disso, outras grades com papagaios e periquitos de espécies silvestres também foram encontradas.

De acordo com comunicado emitido pela PC, os animais não foram apreendidos. Por enquanto eles serão mantidos nas casas de vizinhos, recebendo os cuidados necessários. Enquanto isso a PMA (Polícia Militar Ambiental) foi notificada para verificar a situação desses animais. A partir dessa resposta novas medidas serão tomadas.

Foto mostra escada citada por mãe de Luna e feminicídio segue descartado

Antes de confessar ter espancado Luna Bonett Gonçalves até a morte, a mãe disse à polícia que a criança teria caído de uma escada ao tentar tratar o gato da família. O portal ND+ conseguiu foto exclusiva que mostra a escada citada em depoimento. Com o laudo pericial considerando possibilidade de estupro, a tipificação como feminicídio, considerada pela polícia até agora, segue descartada.

Foto mostra escada citada por mãe de Luna em primeiro depoimento – Foto: ArquivoFoto mostra escada citada por mãe de Luna em primeiro depoimento – Foto: Arquivo

Esta foi a escada que a criança teria caído, segundo o primeiro depoimento da mãe. Após o crime, que ocorreu entre a última quarta (13) e quinta-feira (14), a Polícia Civil fez diligências na casa, e o delegado André Beckmann entendeu que, considerando a gravidade dos ferimentos encontrados no corpo da menina, ela não teria apenas caído da escada. Confrontada em segundo depoimento, a mãe confessou que teria matado Luna.

Além disso, o delegado afirmou que a menina já estaria morta cerca de quatro horas antes da mãe e padrasto ligarem para o Corpo de Bombeiros pedindo socorro.

A perícia criminal, que trará mais respostas sobre a possibilidade de Luna ter sido estuprada antes de morrer, ainda não foi entregue à polícia. No entanto, em entrevista à NDTV | Record TV, o delegado responsável pelo caso, André Beckmann, afirmou que  o perito considerava a existência de  violência sexual. O documento tem prazo de 10 dias após o crime para ficar pronto.

“Já conversamos com os peritos, os médicos legistas. Eles têm esse prazo para reunir todas as evidências encontradas na criança. Informalmente, (o perito) me adiantou que poderia considerar a existência de uma violência sexual contra aquela criança” afirmou.

Feminicídio descartado

Com a eminente confirmação de violência sexual, o crime que até agora está configurado como feminicídio, deverá ser reenquadrado considerando os crimes praticados. Questionado na tarde desta quarta-feira (20), o delegado Beckmann afirmou que qualquer alteração na tipificação só será realizada após a chegada da perícia criminal.

O crime

Luna Bonett Gonçalves, de 11 anos, foi levada ao hospital Oase de Timbó, no Médio Vale do Itajaí, na madrugada da última quinta-feira (14) já sem vida e com diversos hematomas na cabeça e sangramento na genitália, que levantaram suspeitas.

Os hematomas em todo o corpo e sangramento na genitália levantaram suspeita, e mãe e padrasto foram presos preventivamente. Por último, a mãe confessou ter matado a criança. Inquérito Civil segue investigando caso.

Polícia Civil registrou diligência com animais silvestres na casa onde Luna morreu, em Timbó – Vídeo: PCSC/Divulgação

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Blumenau e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...