Prefeito de Itajaí lamenta ação violenta da Guarda Municipal, mas não afasta agentes

Volnei Morastoni publicou um vídeo no qual classificou como "infeliz" a ação da Guarda Municipal na última segunda-feira (13)

Na noite desta quarta-feira (16) o prefeito de Itajaí Volnei Morastoni (MDB) pediu desculpas pela Guarda Municipal ao jovem ambulante de 17 anos, que sofreu uma ação classificada com “exagerada e violenta” pela população que assistiu a cena na rua Hercílio Luz, na última segunda-feira (13).

Morastoni classificou a ação como “infeliz” e disse que a Guarda Municipal foi criada para ser amiga da população. “A Guarda de Itajaí foi criada para ser amiga da população, uma Guarda comunitária, com abordagens humanizadas, cuidando da proteção de todos sem descriminação. Infelizmente não foi isso que aconteceu”, disse.

Prefeito de Itajaí pede desculpas por ação da Guarda Municipal contra jovem ambulante – Vídeo: Reprodução

O prefeito destacou que ações como essas são inadmissíveis e ressaltou a sindicância que investiga a conduta dos guardas. “Me comprometo em garantir que nossa Guarda Municipal mantenha uma conduta humanitária e próxima da comunidade”, destacou.

Porém, apesar da sindicância instaurada, os agentes que atuaram na ação não foram afastados. Em nota, a Guarda Municipal afirmou que não enxerga como excessiva a postura dos agentes.

Jovem vendia trufas e doces quando foi abordado pela GM de Itajaí na rua Hercílio Luz – Foto: Reprodução InternetJovem vendia trufas e doces quando foi abordado pela GM de Itajaí na rua Hercílio Luz – Foto: Reprodução Internet

“De acordo com os elementos colhidos até o momento, a análise dos relatórios de ocorrência, filmagens e depoimentos, não vislumbra-se a necessidade de afastamento dos guardas municipais envolvidos na ocorrência”, traz a nota.

Volnei se comprometeu a fazer com que ações como essa não se repitam, mas não afastou guardas – Foto: ReproduçãoVolnei se comprometeu a fazer com que ações como essa não se repitam, mas não afastou guardas – Foto: Reprodução

A sindicância tem prazo de 30 dias para ser finalizada e após a conclusão, o corregedor da Guarda Municipal vai decidir se os agentes sofrerão alguma medida disciplinar. “A partir de agora, será instaurado procedimento de investigação preliminar, que visa a averiguação de todos os fatos e, caso seja constatado algum excesso, as medidas cabíveis serão tomadas”, diz o documento.

Destaque na Alesc

O deputado Kennedy Nunes (PTB) se manifestou na Alesc sobre a ação da Guarda Municipal e recomendou ao prefeito Volnei que exonerasse os agentes.

Kennedy sugeriu ao prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni, que expulse os membros da guarda municipal que prenderam de forma violenta um rapaz de 17 anos que vendia alfajor no centro da cidade, conforme vídeos que circularam nas mídias sociais digitais, e utilizaram spray de pimenta contra as pessoas que se revoltaram.

Com a ação, a Guarda Municipal de Itajaí envergonhou o trabalho de todas as guardas municipais, na opinião do deputado. “O prefeito foi para as redes sociais e repudiou, mas não basta repudiar. Eu teria expulso todos os envolvidos da corporação. Pelo menos a sociedade vê que tem um prefeito que não aceita efetivamente esse tipo de abuso. Agora está rodando pelo Brasil a imagem da nossa belíssima Itajaí por conta de uns energúmenos desses”, disse Kennedy

Imagens chocantes

Nos vídeos, o ambulante aparece sentado no chão, com um dos guardas o segurando pelo pescoço e outra agente tentando colocar os braços do jovem para trás para algemá-lo, enquanto o rapaz pede que eles parem e afirma ser trabalhador.

As pessoas que filmaram a ação da Guarda Municipal pediam que eles parassem e classificavam como “exagerada” a postura dos agentes. “Vocês estão exagerando. Solta o rapaz. Não precisa algemar”, gritam as pessoas.

Imagens mostram ação da Guarda Municipal contra um ambulante na rua Hercílio Luz, em Itajaí – Vídeo: Reprodução Internet

Testemunhas relataram nas redes sociais que os agentes “arrancaram o suporte de isopor com os doces da mão dele, quebraram tudo, enforcando o rapaz e o agrediram”, disse uma das testemunhas.

Em outro vídeo, as pessoas questionam a postura dos Guardas Municipais e denunciam que não é de hoje a postura truculenta dos agentes. “Deveriam levar o menino, conversar, ele estava vendendo alfajor, não é traficante, não é droga”, disse um homem.

A prefeitura abriu uma sindicância para apurar a postura da Guarda Municipal e afirmou que a denúncia afirmava que  “fiscais da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEDUH), que estavam sendo ameaçados por um vendedor ambulante”.

Ainda de acordo com a nota. “Quando o homem foi localizado, não acatou às ordens dos fiscais, tentou fugir e foi contido pelos guardas municipais. Durante o procedimento, o ambulante derrubou um dos agentes e foi necessário uso de força física para contê-lo e evitar riscos à guarnição e ao abordado”, traz o documento.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itajaí e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...