Principal fornecedor de drogas em SC é preso no Paraguai

Ação conjunta resultou na prisão de homem que estava foragido no Paraguai; ele é identificado como fornecedor de maconha e cocaína para facção

Uma ação da Polícia Civil de Santa Catarina, junto com o CIOF (Centro Integrado de Operações de Fronteira) do Ministério da Justiça e a Polícia Nacional do Paraguai, resultou na prisão de um foragido da Justiça catarinense, no Paraguai.

Ação envolveu oficiais de Santa Catarina e Paraguai – Foto: Divulgação/ Polícia Civil

A prisão foi na madrugada desta quarta-feira (5), em Capitan Bado. O homem é apontado como um dos principais fornecedores de drogas para uma facção criminosa de Santa Catarina.

A prisão foi realizada pela Polícia Nacional do Paraguai, em uma casa. Operação partiu de investigações da DIC (Divisão de Investigação Criminal) de Caçador e da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil catarinense.

O alvo era investigado por tráfico de drogas e associação, e tem mandado de prisão decretado pela Justiça de Caçador. O homem, de 27 anos de idade, é natural de Passo Fundo, no Rio Grande do Sul.

“Ele foi identificado como um dos principais fornecedores de maconha e cocaína para a facção que atua no Estado, em especial na região de Caçador”, afirma o delegado Davi Matos, da DIC de Caçador.

O investigado havia sido preso em Chapecó com 5 quilos de crack, mas fugiu em novembro de 2017. Posteriormente, ele foi detido novamente em Passo Fundo (RS), em fevereiro de 2019. No entanto, no mês de outubro do mesmo ano, fugiu novamente.

“Tínhamos informações que ele estava no Paraguai e a partir de prisões que fizemos em janeiro essa linha de investigação se confirmou”, ressaltou o delegado.

Leia também

Logo após a identificação do local em que ele estava em Capitan Bado, houve integração das informações.

“Conseguimos identificar a localidade dele em Capitan Bado, fizemos contato com a inteligência da PC, que intermediou toda a operação realizada pelo CIOF com envolvimento do Ministério Público do Paraguai e da Polícia Nacional do Paraguai”, comentou.

O GAECO (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) de São Miguel do Oeste e a Diretoria de Inteligência da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, também auxiliaram a investigação.

De acordo com a polícia, outros dois homens também foram presos na ação.

+

Polícia