Quadrilha que tirou R$ 70 mil de catarinenses em golpe virtual é presa

Quatro pessoas foram presas pela Polícia Civil na cidade de Cuiabá (MT), pela prática conhecida como "golpe do intermediário"; saiba os golpes mais comuns e como evitá-los

Quatro pessoas de uma quadrilha especializada em golpes virtuais foram presas pela Polícia Civil de Santa Catarina na cidade de Cuiabá, no Mato Grosso.

A investigação policial apurou que os criminosos fizeram duas vítimas em Florianópolis com o “golpe do intermediário”. O prejuízo financeiro foi em torno de R$ 70 mil.

“Golpe do intermediário” cresceu durante a pandemia – Foto: Pixabay/Divulgação/ND“Golpe do intermediário” cresceu durante a pandemia – Foto: Pixabay/Divulgação/ND

A quadrilha era sediada nas cidades de Cuiabá e Várzea Grande, ambas no Mato Grosso. O golpe virtual, classificado como crime de estelionato, era a especialidade dos criminosos.

A Polícia Civil de Santa Catarina cumpriu, no decorrer desta semana, quatro mandados de prisão temporária na capital mato grossense. O delito, conhecido como “golpe do intermediário”, é geralmente praticado através de um site de compra e venda.

Os fraudadores utilizam anúncios de terceiros para negociar veículos usados ou seminovos. O grande objetivo deste golpe é clonar os anúncios reais e receber o pagamento do comprador interessado no veículo.

De acordo com a Polícia Civil, este tipo de golpe tem sido o mais frequente nos últimos tempos. A SSP (Secretaria de Segurança Pública) destaca que o crime é “muito bem feito” e é fácil que as pessoas caiam.

Os suspeitos identificados na operação em Cuiabá responderão pelos crimes de estelionato, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

Como é o “golpe do intermediador” e como evitar

Neste golpe, o criminoso consegue o telefone da vítima em sites de vendas online, copia o anúncio feito pela vítima e cria um novo anúncio falso, entretanto, com o valor mais baixo.

O golpista diz que comprará o bem anunciado e que pagará uma dívida que possui com algum cliente, sócio, amigo ou irmão, e, portanto, pede silêncio no momento de apresentar o objeto para a segunda vítima, prometendo algum lucro financeiro nesta negociação silenciosa.

A vítima interessada em comprar também é orientada a se manter em silêncio e por isso ganhará um desconto.

Com o enredo pronto, o criminoso fornece contas de terceiro para receber o pagamento. Após recebido valor, o criminoso combina de assinar o recibo em cartório com ambas as vítimas, as quais descobrem que caíram em um golpe.

Como se prevenir do golpe:

  • Mantenha sempre um diálogo aberto com o vendedor/comprador;
  • Faça questão de ver o bem pessoalmente;
  • Busque outras formas de confirmar que realmente a pessoa que esta vendendo é a mesma que esta sendo feita a negociação;
  • Confirme se a conta informada pertence ao vendedor, ou algum familiar próximo (filho, esposa, pai, mãe etc);
  • Quando disponível, utilize os meios de pagamentos oferecidos pelas plataformas de venda.

Crimes de estelionato têm queda no Estado

Segundo o levantamento da SSP, depois do lançamento da campanha de prevenção ao estelionato, em 18 de agosto deste ano, o crime teve uma queda de 28% na média móvel.

Gráfico demonstra a redução da média móvel em SC após divulgação da campanha – Foto: SSP/Divulgação/NDGráfico demonstra a redução da média móvel em SC após divulgação da campanha – Foto: SSP/Divulgação/ND

O governo do Estado destaca que a informação é a medida mais eficaz no combate aos golpes virtuais.

A campanha, denominada “Desconfie sempre, não caia em golpes”, foi criada para alertar a população quantos aos crimes virtuais que aumentaram 85% durante a pandemia.

Os dados são analisados todas as semanas pelo Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial de Santa Catarina e, para esse crime, segundo pesquisa da DINI (Diretoria de Inteligência e Estatística) da Secretaria de Segurança Pública, 97% deles não teriam ocorrido se a vítima tivesse algum conhecimento sobre os golpes.

“Vamos continuar monitorando os números e caso seja necessário agirmos com outras ações, assim faremos”, afirmou o presidente do Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial de SC Coronel BM Charles Alexandre Vieira.

Alerta continua: número de estelionato anual segue em alta em relação a anos anteriores – Foto: SSP/Divulgação/NDAlerta continua: número de estelionato anual segue em alta em relação a anos anteriores – Foto: SSP/Divulgação/ND

Quais são os golpes mais comuns em SC?

Conforme o levantamento feito pela DINI, os golpes mais frequentes no Estado são:

  • Clonagem do Whatsapp;
  • Anúncio de compra e venda de veículos;
  • Duplicação de perfil de Whatsapp;
  • Compras pela internet de maneira geral;
  • Falso empréstimo;
  • Clonagem de cartão;
  • Anúncio de imóveis.

A população pode acessar uma cartilha informativa no site da Polícia Civil, que explica todos os crimes de estelionato virtual e como se prevenir de cada um deles.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...