Quem era Halyna Hutchins, diretora morta por Alec Baldwin durante filmagens

Ucraniana de 42 anos era considerada uma "estrela em ascensão"; longa estava sendo filmado no Novo México, nos Estados Unidos

A diretora de fotografia Halyna Hutchins foi morta pelo ator e produtor Alec Baldwin com uma arma de fogo supostamente cenográfica no set de filmagens de “Rust”, no Novo México, nos Estados Unidos. Ela era ucraniana e tinha 42 anos.

Halyna Hutchins, de 42 anos, era ucraniana e havia atuado em dezenas de filmes – Foto: Reprodução/InternetHalyna Hutchins, de 42 anos, era ucraniana e havia atuado em dezenas de filmes – Foto: Reprodução/Internet

Segundo o site IMDb, a diretora atuava em curtas, produções na TV e em filmes desde 2012, sendo creditada em 49 produções. A profissional se também era formada em jornalismo e foi considerada pela American Cinematographer como um “estrela em ascensão” em 2019.

O caso chocou a indústria cinematográfica. Conforme a CNN, ela foi baleada por volta das 13h50 de quinta-feira (21), horário local. A diretora chegou a ser transportada de helicóptero a um hospital, mas morreu.

O diretor Joel Souza, de 48 anos, também foi baleado por Baldwin, mas sobreviveu.

“Sonhadora inquieta”

A diretora se descrevia como uma “sonhadora inquieta” e viciada em adrenalina em seu perfil pessoal na internet. Segundo seu site, Halyna foi criada em uma base militar soviética no Círculo Polar Ártico.

Na página, ela compartilhava fotos do set de “Rust”, filme de faroeste estrelado por Baldwin, Travis Fimmel e Jensen Ackles.

A diretora de fotografia Halyna Hutchins foi morta pelo ator e produtor Alec Baldwin nesta quinta-feira (21) - Reprodução/Internet
1 2
A diretora de fotografia Halyna Hutchins foi morta pelo ator e produtor Alec Baldwin nesta quinta-feira (21) - Reprodução/Internet
Tragédia ocorreu no início da tarde desta quinta-feira (21), no Novo México, nos Estados Unidos - Reprodução/Internet
2 2
Tragédia ocorreu no início da tarde desta quinta-feira (21), no Novo México, nos Estados Unidos - Reprodução/Internet

Formada em jornalismo internacional na Universidade Nacional de Kiev, trabalhava em produções documentais em toda a Europa.

Em sua última postagem, na quarta-feira (20), um dia antes de ser morta, escreveu: “uma das vantagens de filmar um faroeste é andar a cavalo no seu dia de folga”, em um vídeo cavalgando no Novo México.

+

Polícia

Loading...