Suspeito de assassinato de transexual em Itajaí ainda não foi identificado

Caso é conduzido pela Divisão de Investigação Criminal de Itajaí, testemunhas já foram ouvidas

A DIC (Divisão de Investigação Criminal) de Itajaí está conduzindo as investigações do assassinato de uma transexual, de 19 anos, em Itajaí. O crime ocorreu na madrugada de terça-feira (3) na rua Doutor Reinaldo Schmithausen, bairro Cordeiros.

A jovem foi identificada com as iniciais J. A. B. S, ainda não tendo o nome social nos documentos. O responsável pelas investigações é o delegado Sérgio de Sousa da DIC de Itajaí, que afirma já ter ouvido algumas testemunhas que confirmam que a jovem era garota de programa.

Polícia Civil Santa Catarina – Foto: Divulgação/NDPolícia Civil Santa Catarina – Foto: Divulgação/ND

Ainda de acordo com testemunhas, J. foi morta com cinco tiros por um cliente que discordou do valor do programa. Eles brigaram, o homem foi embora e quando retornou assassinou a jovem.

O crime é investigado como homicídio qualificado por motivo torpe. De acordo com o delegado, a DIC está conduzindo o caso porque ainda não foi identificado o autor do crime.

O caso não será investigado pela DPCAMI (Delegacia de Proteção ao Adolescente, Mulher e Idoso) como feminicídio. O delegado explica que “só caracteriza feminicídio se o crime envolve violência doméstica e familiar, ou em caso de menosprezo ou discriminação à condição de mulher. O caso em epígrafe foi em razão de desacordo por valor/dinheiro, entre duas pessoas estranhas, ou seja, que não se conheciam”, salientou.

Acesse e receba notícias de Itajaí e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Polícia