Suspeito de matar Mauricéia pede para voltar ao local do crime 

Jovem foi morta queimada na casa onde morava em Descanso, no Extremo-Oeste de Santa Catarina; o crime aconteceu em março deste ano

O homem de 24 anos, suspeito de matar a jovem Mauricéia Fátima Estraich, de 22 anos, foi levado ao local do assassinato no município de Descanso, no Extremo-Oeste de Santa Catarina, na tarde desta segunda-feira (14).

Polícia Civil ouviu pela segunda vez o suspeito pela morte de Mauricéia, moradora de Descanso – Foto: Marcos Lewe/Rádio 103 FM/Divulgação/ND/NDPolícia Civil ouviu pela segunda vez o suspeito pela morte de Mauricéia, moradora de Descanso – Foto: Marcos Lewe/Rádio 103 FM/Divulgação/ND/ND

O suspeito é cunhado da vítima e está preso na Unidade Prisional Avançada de São Miguel do Oeste desde 28 de março quando ocorreu o crime. A prisão dele foi convertida em preventiva alguns dias após a morte

Ele, que estava algemado e escoltado por agentes do Deap (Departamento de Administração Prisional), retornou ao endereço acompanhado dos advogados de defesa Gabriel Antunes e Jean Carlos Carlesso. Segundo eles, a medida teria sido um pedido do próprio cliente, de modo a esclarecer à polícia novas informações do crime brutal.

Suspeito, algemado, esteve no local do crime na tarde de segunda-feira (14) – Foto: Marcos Lewe/Rádio 103 FM/Divulgação/NDSuspeito, algemado, esteve no local do crime na tarde de segunda-feira (14) – Foto: Marcos Lewe/Rádio 103 FM/Divulgação/ND

A investigação está em segredo de Justiça, por isso não foram revelados os detalhes da ida ao local. A defesa se limitou a dizer que “o investigado está cooperando com a polícia”. 

Investigação 

O delegado da PC (Polícia Civil), Cleverson Muller, não quis revelar os detalhes da ida ao local, mas disse que aguarda a conclusão de laudos periciais para encerrar da investigação que já se arrasta por três meses. 

“Fomos ao local para algumas diligências, identificar alguns objetos, mas não posso revelar mais detalhes”, comentou Muller.

A jovem morreu no dia 28 de março. – Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução/NDA jovem morreu no dia 28 de março. – Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução/ND

Segundo a polícia, a vítima morreu carbonizada, após a casa onde ela estava ter sido incendiada. Ela morava com o companheiro, mas estava sozinha quando o fogo iniciou. 

Ainda no dia do incêndio, a polícia ouviu sete pessoas próximas de Mauriceia. Segundo o delegado, um exame preliminar apontou marcas suspeitas no corpo da jovem, o que intrigou a investigação e levantou a hipótese de feminicídio.

Depoimento diferente

Das sete pessoas ouvidas pela Polícia Civil, um cunhado deu afirmações controversas aos demais depoimentos, o que chamou a atenção da investigação. Ele acabou detido por falso testemunho. Já na segunda-feira (29), foi preso temporariamente por suspeita de participação na morte da jovem.

O suspeito, que tinha conhecimento de que a jovem estava sozinha em casa, negou à polícia qualquer participação no caso.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...