Suspeitos de aplicar golpe do cartão clonado são presos em Concórdia

Polícia Militar recebeu inúmeras ligações informando sobre o golpe aplicado na última quinta-feira (10)

A PM (Polícia Militar) deu voz de prisão a dois homens suspeitos pelo crime de estelionato. Eles estariam aplicando o golpe do cartão clonado em Concórdia, no Oeste catarinense, na última quinta-feira (10). A polícia localizou os golpistas após inúmeras vítimas denunciarem o golpe.

Dois homens estavam hospedados em Concórdia e no quarto do hotel foram localizados os cartões e máquinas utilizadas no golpe – Foto: PM/Divulgação/NDDois homens estavam hospedados em Concórdia e no quarto do hotel foram localizados os cartões e máquinas utilizadas no golpe – Foto: PM/Divulgação/ND

As vítimas contaram à polícia que os estelionatários se passavam por funcionários de instituições bancárias. Nas ligações, eles diziam que os cartões das vítimas teriam sido clonados e que precisavam ser cancelados.
Por telefone, os autores conseguiam os dados das vítimas e diziam que passariam buscar estes cartões para serem inutilizados.

Ocorre que os falsos funcionários tinham por objetivo pegar os cartões e, após terem informações das vítimas, usavam os cartões para realizar transações nas máquinas de cartão e saques em terminais eletrônicos.

Com informações de características dos suspeitos e de um veículo, por volta das 18h30 a PM, através das câmeras de videomonitoramento, localizou o carro e os suspeitos próximo de uma agência bancária.

Eles estavam em posse de diversos cartões bancários em nome das vítimas e também duas máquinas de cartão. A PM também esteve no quarto de hotel, onde os suspeitos estavam hospedados, e foi encontrada outra máquina de cartão e os documentos pessoais dos criminosos.

Eles foram entregues na Delegacia de Polícia Civil de Concórdia e os objetos apreendidos.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia