‘Vai tomar tiro’: campeão mundial de jiu-jitsu discute com policiais em SC

Erberth Santos, o Lobo, filmou discussão com policiais militares na praia Brava em Itajaí; PM emitiu nota chamando vídeo de "sensacionalista"

A visita do campeão mundial de jiu-jitsu Erberth Santos, o Lobo, ao Litoral Norte de Santa Catarina no domingo (21), terminou de forma conturbada com discussão com policiais militares no bar Éden, na praia Brava em Itajaí. Tanto a Polícia Militar, quanto o lutador apresentaram versões diferentes do ocorrido.

Parte da discussão e saída do lutador do bar foi filmada por Erberth, na qual, um dos policiais fala: “se tentar algo contra a polícia, vai levar tiro” e o lutador diz “não estou tentando nada, irmão”. Por meio de nota, a Polícia Militar afirmou que as imagens são “sensacionalistas”.

De acordo com o lutador, ele e alguns amigos estavam na praia Brava, quando foram ao bar e pediram um combo. Em dado momento, Erberth se cansou da música e foi pedir para falar com o DJ.

“Pedi ao segurança para falar com o DJ e fui pelo canto da mesa. O segurança me olhou torto, já chamou o gerente e disse que era para eu sair do local. Eu disse que estava me despedindo do Brasil, não estava alcoolizado e não iria sair”, contou o lutador.

Através dos stories, campeão mundial de Jiu-jitsu contou a versão dele sobre o ocorrido – Vídeo: Reprodução/Internet/ND

Erberth continua: “momentos depois meus amigos falaram que a polícia havia chegado, que tinha uma viatura lá atrás, mas os policiais já estavam no meu lado e pegaram no meu braço, dizendo que era pra a gente trocar uma ideia lá no fundo, mas a viatura estava na frente do estabelecimento”, disse.

Ainda de acordo com o lutador, ele foi seguindo para próximo da viatura, quando um dos policiais tentou dar um mata leão pelas costas. “Ele subiu nas minhas costas, tentou me dar um mata leão e eu dei um quedão nele pela frente, pela minha cabeça. Depois ele ficou me chamando para trocar porrada. Eu senti a maldade. Não iria brigar com policial”, disse.

Já a Polícia Militar, afirma que Erberth dizia ser lutador de artes marciais como forma de intimidar os policiais, “sendo necessário um dos policiais realizar a tentativa de imobilização por meio de um mata leão, quando levou o contragolpe, sendo necessária a abordagem com a utilização de arma de fogo para segurança dos agentes públicos, com a devida verbalização, para que o cidadão saísse do local e não gerasse mais conflitos”, traz a nota da polícia.

Campeão mundial de MMA filmou abordagem policial na praia Brava, em Itajaí – Foto: Reprodução/Internet/NDCampeão mundial de MMA filmou abordagem policial na praia Brava, em Itajaí – Foto: Reprodução/Internet/ND

Na internet, Erberth afirmou que achava que os policiais estavam em um mau dia e pensaram que ele era bandido. “Nada contra os policiais, de verdade, acho que eles estavam num mau dia de trabalho. Os caras acharam que eu era bandido. Acharam que eu ia trocar porrada com eles. Não vou trocar porrada com eles. Não vou agredir quem não me agrediu”, concluiu.

O que diz a polícia na íntegra

A Polícia Militar de Itajaí se manifestou sobre o ocorrido por meio de nota, confira o comunicado na íntegra:

Na noite do dia 21 (domingo), por volta das 23h, a Polícia Militar foi acionada para atendimento de ocorrência no estabelecimento Éden, na Praia Brava, Itajaí, onde um frequentador embriagado estaria arrumando confusão e se negava a acatar a determinação dos seguranças de sair do local.

Antes da chegada da guarnição, ele já havia resistido à ação de um dos seguranças, dando uma cabeçada em seu peito tirando sua camisa e ostentando com orgulho uma tatuagem de uma arma ak47 em seu peito dizendo “não mexa com bandido”.

Com a chegada da guarnição policial, o masculino novamente passou a apresentar resistência, dizendo ser lutador de artes marciais, inclusive no momento em que foi realizado o controle de contato, sendo necessário um dos policiais realizar a tentativa de imobilização por meio de um mata leão, quando levou o contragolpe.

A todo momento o masculino intimidava os policiais, sendo necessária a abordagem com a utilização de arma de fogo para segurança dos agentes públicos, com a devida verbalização, para que o cidadão saísse do local e não gerasse mais conflitos.

Já no ambiente externo, o masculino permaneceu a todo o tempo intimidando os policiais, para que tirassem a farda e o enfrentassem desarmados, proferindo xingamentos. Após ser controlada a situação, em virtude de o segurança, vítima do golpe no peito, não ter manifestado o desejo de representar, restou apenas lavrada a ocorrência para registro dos fatos.

Até às 10h30 desta terça-feira (23), o bar Éden Brava não respondeu sobre a posição do que teria acontecido na noite de domingo. O ND+ segue à disposição do estabelecimento.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itajaí e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...