VÍDEO: Motoboy vítima de racismo revela detalhes do caso

"Foi um baque", afirmou Matheus Pires, de 19 anos; vaquinha na internet já arrecadou mais de R$ 100 mil reais para o jovem

O motoboy que foi vítima de racismo em Valinhos, no interior de São Paulo, concedeu entrevista à Record TV e contou o que sentiu ao ser humilhado pelo agressor. Matheus Pires afirmou que além dos xingamentos registrados pelas imagens, o homem fez muitos outros.

Uma vaquinha online foi criada para ajudar o entregador, que também ganhou uma moto 0 km de um humorista.

Matheus Pires falou em entrevista à Record TV – Foto: Reprodução/Record TV

Matheus Pires tem 19 anos. Ele começou a fazer entregas de comida depois de perder o emprego de editor de imagens.

“Foi um baque. Você nunca imagina que a pessoa vai te ofender daquela maneira. Foi um sentimento realmente de humilhação, ele tava humilhando a minha pessoa e o meu trabalho”.

Injúria racial

“Tem muitas outras atitudes que ele tomou, ele cuspiu antes de começar a gravar, me jogou a nota do restaurante, falou que eu era macaco, fez gestos batendo no peito”, relatou o motoboy.

O delegado da Polícia Civil, Luis Henrique Apocalipse, que é responsável pela investigação, registrou o caso como injúria racial.

“Injúria racial atinge a honra subjetiva de uma pessoa determinada, o racismo atinge a dignidade da pessoa humana”, explica.

O pai do autor das agressões esteve na delegacia do município de Valinhos e apresentou um documento que comprovaria que o filho faz tratamento para esquizofrenia.

Como não tinha passagens pela polícia, ele permanece em liberdade. A empresa do aplicativo de entregas disse que o cliente foi banido.

Indignação e solidariedade

Já a mãe do motoboy, Maria Pires, está indignada. “Foi a pior coisa do mundo pra mim, como mãe, como ser humano, ver que existem pessoas assim”, disse.

Para o motoboy de São Paulo, a repercussão do caso trouxe uma corrente de solidariedade. Uma vaquinha na internet já arrecadou mais de R$ 100 mil reais para ele.

“Recebi algumas oportunidades de trabalho sim. Trabalhos que são simples mas que são importantes pra mim, que são coisas que gosto de fazer”, revela Matheus Pires.

Confira a reportagem completa da Record TV:

+

Polícia