Suspensão de visitas provoca protestos na frente do presídio de Joinville

Parentes de detentos afirmam que decisão foi repentina e pegou as visitantes de surpresa

Divulgação

Familiares de detentos ficaram na frente do portão de entrada da unidade prisional

Revoltadas por não poderem visitar maridos e filhos presos no Pavilhão 4 do Presídio Regional de Joinville, um grupo de 15 mulheres protestou em frente a unidade contra a repentina suspensão das visitas na manhã desta terça-feira (3). Muitas alegaram que vieram de outras cidades, perderam um dia de trabalho, mas não conseguiram entrar na unidade apesar de terem confirmado na noite anterior que haveria visita. A direção do presídio foi procurada ontem pela reportagem, mas não atendeu às ligações.
“Eu liguei para cá às 22h30 e disseram que eu poderia vir. Viajei de Curitiba até aqui e agora não posso ver meu filho”, desabafa a diarista Hiride Aparecida Siqueira, 40. O filho dela está detido no presídio há seis meses acusado pelo crime de roubo. De acordo com Hiride e as companheiras que aguardavam em frente a unidade, ele e os demais presos foram punidos após uma tentativa de fuga ocorrida no último sábado (31). “Um detento do castigo tentou fugir e agora suspenderam as visitas, umas dez mulheres aqui já tinham passado pela revista”, diz a também diarista Daiana Lundesco, 28.

Leia a matéria completa na edição de quarta-feira (4/4/12) do jornal Notícias do Dia de Joinville.

Acesse e receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Segurança