Terrorista que matou 10 pessoas é apresentado à Justiça nos EUA

Supremacista branco é adepto à teoria da conspiração de extrema direita que inspirou ataques terroristas passados

Nesta quinta-feira (19) foi apresentado ao Tribunal de Justiça o autor do ataque a tiros que matou 10 pessoas e feriu três em Buffalo, no estado de Nova York, no último sábado (14).

Caso foi tratado pelas autoridades dos EUA como ataque terrorista e crime de ódio – Foto: Scott Olson/Getty Images North America/ AFP/ NDCaso foi tratado pelas autoridades dos EUA como ataque terrorista e crime de ódio – Foto: Scott Olson/Getty Images North America/ AFP/ ND

Vestindo macacão laranja de presídios americanos, apareceu em público algemado. Uma pessoa que acompanhava o julgamento gritou “covarde” assim que Payton entrou na sala, informou a NBC.

A audiência teve quatro minutos de duração e foi realizada cinco dias após a prisão do suspeito. Ele seguirá preso e sem direito a fiança.

Os motivos do crime

Se auto definindo “fascista”, “racista” e “antissemita”, no dia do crime Payton saiu de um veículo, armado com um rifle semiautomático, colete à prova de balas e um capacete com uma câmera, utilizado para transmitir o massacre ao vivo pela internet, antes de se entregar à polícia. Durante o ataque, o terrorista atacou principalmente pessoas negras.

O motivo do crime teria sido por conta de páginas da internet relacionadas a supremacia branca e à teoria da “grande substituição”, uma teoria da conspiração de extrema direita.

A teoria inspirou outros ataque extremistas passados, como o de Brenton Tarrant em 2019, que transmitiu seu ataque a uma mesquita da Nova Zelândia nas internet, postando um manifesto  no Facebook sob o nome “The Great Replacement”(em tradução livre, “A grande substituição”).

O movimento extremista global vem crescendo bem rápido na internet e acredita que os europeus estão sofrendo o que chama de “genocídio branco”.

O caso foi tratado pelas autoridades dos EUA como ataque terrorista e crime de ódio baseado, entre outras coisas, em um manifesto que Payton teria deixado escrito.

+

Segurança

Loading...