“Zumbi do asfalto” leva perigo gigante para quem trafega nas BRs do País

A Polícia Rodoviáia Federal e o Ministério do Trabalho deveriam continuar fiscalizando caminhoneiros em trânsito, como nos anos anteriores

Zumbi do asfalto
Operações deflagradas pela Polícia para tirar de circulação os “zumbis do asfalto” – caminhoneiros que estão substituindo o rebite pela cocaína para não dormir –  deixou bem claro que o uso do entorpecente pelos profissionais da boleia é um perigo gigante nas estradas. A polícia diz que o problema é bem mais complexo porque as transportadoras exigem uma carga de trabalho acima do normal, obrigando os profissionais da boleia a ficar mais tempo na estrada,  e deixa o tráfico de drogas em segundo plano.  Recentemente uma jovem que pilotava uma Honda Biz na BR-101 foi arrastada por mais de 200 metros por um caminhão que fugiu sem prestar socorro. Para punir os caminhoneiros que alimentam a rede de tráfico no asfalto e garantir a segurança dos usuários das estradas, inclusive as deles, a Polícia Rodoviária Federal e o Ministério do Trabalho deveriam continuar fiscalizando os caminhoneiros em trânsito, como nos anos anteriores.  Aliás, o governo federal deveria lançar uma campanha nacional contra os Zumbis do asfalto.

Furto
Meia hora depois de ter roubado a bicicleta e o celular de um estudante do Ensino Fundamental, no Centro de Itajaí, o desocupado Rafael Fernando foi detido por uma guarnição da PM se exibindo com a magrela para amigos da praça. O policial questionou sobre o telefone e Rafael disse que estava na casa dele. O istepô apenas foi notificado: assinou um termo circunstancional, onde se prontifica comparecer ao juiz no dia da audiência e foi liberado.
 
Velho Barreiro
Uma adolescente de 16 anos, flagrada pelas câmeras de vigilância de um supermercado de Itajaí escondendo bebidas nas roupas, foi detida pela segurança interna do estabelecimento comercial até a chegada de uma guarnição policial. A garota tentava levar para uma “festinha americana” três litros de uísque Rede Label. Além de passar vergonha na frente de vários clientes,  ela ficou na festinha  só de Velho Barreiro. 

Insegurança
Ao descer do ônibus e o estudante Jhonathan foi assaltado no caminho para casa, em frente ao  Direto do Campo, avenida Beira-mar Norte, no bairro Agronômica,  por um loiro, sem dente na frente, armado de faca que levou o celular e uma corrente de ouro. O garoto chegou em casa esbaforido e contou para o pai que o assaltante ameaçou matá-lo caso ele chamasse a polícia. O pai do garoto registrou ocorrência na 1ª DP da Capital e reclamou da falta de segurança na cidade.

Recepcionista
A recepcionista que vive com um militar 20 anos mais velho do que ela e com o qual tem um filho de três anos, está “comendo o pão que o diabo amassou”.  A moça passou numa delegacia de polícia da Capital e denunciou o companheiro de agressão e racismo. Ela diz que ele a chama de “prostituta, e o filho de macaco”. 

Pirraça
As pirraças são antigas e já ocorreu até audiência no Fórum da Capital para tratar do assunto, mas a cabeleireira Eliane continua azucrinando a vida do vizinho de 10 anos,  com piadas de mau gosto e ameaçando bater nele.  A mãe do menino pediu para Eliane parar com as insinuações, mas não obteve êxito. A única opção de Tatiane foi passar na  5ª DP e pedir para o delegado de plantão intimar a cabeleireira.

Frase:

“Já prendemos o mesmo ladrão de carros cinco vezes e vamos prendê-lo mais vezes porque a legislação está bondosa para eles”, Alexandre Carvalho de Oliveira, delegado da Deic.