Rayssa Leal retorna a cidade de SC onde sua carreira decolou

Atleta maranhense foi a brasileira mais jovem a faturar uma medalha olímpica

A skatista Rayssa Leal está de volta às pistas de Criciúma depois de um ano. Ela já havia visitado a cidade do Sul de Santa Catarina em 2021, quando competiu pelo STU National. Na época, foi a grande campeã da modalidade street.

Rayssa Leal conquistou medalha de prata nas Olimpíadas de Tóquio – Foto: Reprodução/Redes Sociais/NDRayssa Leal conquistou medalha de prata nas Olimpíadas de Tóquio – Foto: Reprodução/Redes Sociais/ND

Esse acabou sendo apenas um dos muitos títulos que a maranhense levou para casa no ano passado. A competição em Criciúma foi, basicamente, um “start” para o sucesso da adolescente naquele ano, tanto nas pistas quanto na internet.

Após o campeonato, por exemplo, ela conquistou medalha de prata no skate street feminino em Tóquio e se tornou a atleta brasileira mais jovem a subir em um pódio olímpico. No mesmo ano, também foi bicampeã mundial no skate. Além disso, recebeu o apelido carinhoso da web de “Fadinha do Skate”.

“2020 aqui [em Criciúma] de novo. Em 2021, foi a mesma coisa: abrimos aqui. E é muito bom ver todo mundo reunindo, andando de skate, se divertindo, aprendendo manobras novas. É sempre muito legal. Sobre a corrida de 2021 para Olimpíadas, a gente começou aqui mesmo”, contou Rayssa em entrevista coletiva nesta sexta-feira (14).

Rayssa Leal já treina para a competição em Criciúma – Foto: Manuela Silva/FME/Divulgação NDRayssa Leal já treina para a competição em Criciúma – Foto: Manuela Silva/FME/Divulgação ND

Ao lado da adolescente estavam os skatistas Lucas Rabelo, Marcelo Formiga, Kalani Konig, Pâmela Rosa e Virgínia Fortes Águas. O momento também contou com a presença do prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, e do presidente da FME (Fundação Municipal Esportes), Neto Uggioni

Foco

Agora, Rayssa se prepara para competir mais uma vez em Criciúma pelo STU National, que se estende até o próximo domingo (23). “Já conheço a pista aqui e tenho uma noção. Então, vou fazer a minha linha igual ano passado”, garantiu.

Além dela, outros grandes atletas olímpicos participam do campeonato, como Pedro Barros, Pâmela Rosa, Luizinho, Isadora Pacheco, Yndiara Asp, Dora Varella e Pedro Quintas.

Lucas Rabelo, vice-campeão mundial no Super Crown de Jacksonville, nos Estados Unidos, e medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos Júnior de Cali, na Colômbia, também compete.

Campeonato

O evento acontece entre 13 e 23 de janeiro, no Parque Municipal Prefeito Altair Guidi, um dos locais mais modernos do país para a prática do skate.

A etapa de Criciúma abre o circuito brasileiro de skate e vale pontuação máxima no ranking nacional. A primeira semana será dedicada ao street e a segunda, ao park, nas duas categorias, feminino e masculino.

Segundo a organização, o campeonato segue os protocolos do “Evento Seguro”, como controle de entrada para o público, exigindo cartão de vacinação. Pessoas não imunizadas, por exemplo, não terão acesso. O mesmo procedimento será adotado com atletas e imprensa.

Mina de visitação

Os atletas também aproveitar para visitar nessa quinta-feira (13) a Mina de Visitação Octávio Fontana, um dos principais pontos turísticos da cidade, a convite do prefeito Clésio Salvaro.

Skatistas visitam mina em Criciúma – Foto: Jhulian Pereira/PMC/Divulgação NDSkatistas visitam mina em Criciúma – Foto: Jhulian Pereira/PMC/Divulgação ND

“Agora eu conheço Criciúma de verdade”, assim definiu o passeio o skatista Luiz Francisco Mariano, ou Luizinho, como é conhecido no esporte.

“Os atletas estão habituados com a pista de skate e já conhecem a nossa Criciúma Skate Park, tão bem conceituada no país. Mas para conhecer Criciúma de verdade é preciso ir além. Por isso, fizemos esse passeio em um local único, que conta a história da nossa cidade”, comentou o prefeito.

Durante o passeio, os atletas conheceram um pouco da história da cidade, que cresceu a partir do carvão mineral. “Eu não fazia ideia de como era feita a exploração do carvão, e não conhecia uma mina de perto. Foi, com certeza, uma experiência única”, completou Luizinho.

Da extração de carvão ao turismo

A Mina de Visitação Octávio Fontana conta a história da cidade. A Criciúma que foi erguida pelo carvão mineral e se tornou referência no segmento em todo o país já no século passado. Hoje, apesar de não ser mais a principal atividade econômica do município, a história ressurgiu, agora no turismo, com a abertura da atração, no dia 28 de outubro de 2011.

A antiga Mina São Simão encerrou suas atividades em meados dos anos 90. Após pesquisas, foi concluído que o local seria o ideal para receber a nova mina de visitação do município. Administrada em parceria com a SATC, o ponto turístico conta com profissionais qualificados por ter na instituição de ensino o curso técnico em mineração.

Única mina de carvão aberta à visitação na América Latina, hoje o ambiente se tornou o ponto de encontro para conhecer mais sobre a exploração do carvão mineral, sua história e importância regional. E os dados mostram que o local é realmente um espaço importante no turismo de Criciúma. A mina integra o inventário realizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), e em 2019, ficou na 19ª posição do local mais visitado pelos turistas em Santa Catarina. Um espaço que projeta, portanto, Criciúma no turismo catarinense.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Skate

Loading...