Acordo judicial e venda milionária: novos capítulos do ‘racha’ na família Medina

Há quem acredite na reconciliação entre Gabriel Medina e a mãe - mas antes da paz reinar, briga teria chegado à Justiça com divisão de bens

Há quem acredite na reconciliação entre Gabriel Medina e a mãe, Simone Medina. Mas antes da paz reinar na família, a briga teria chegado à Justiça, com divisão de bens. Isso porque a matriarca teria movido um processo contra o filho e, como resultado, ficou com o prédio do Instituto Gabriel Medina, pelo qual pede R$ 8 milhões.

Briga familiar foi parar na Justiça – Foto: Reprodução/InstagramBriga familiar foi parar na Justiça – Foto: Reprodução/Instagram

De acordo com o colunista Demétrio Vecchioli, do portal UOL, tudo teria começado após Medina cortar um repasse mensal para a mãe e o padrasto, Charles Saldanha, de R$ 295 mil para R$ 200 mil.

Além disso, amigos do surfista tratam o pagamento como uma “mesada”, mas Simone via o dinheiro como a parte dela e do marido em uma “sociedade” com o filho na exploração da imagem do atleta.

Em entrevista ao colunista Leo Dias, a matriarca chegou a explicar sua visão. “Eu simplesmente sou sócia da SGM Esportes. Eu e meu marido investimos muito no início da carreira, o Gabriel ainda não era Medina”, disse Simone.

Exclusão da sociedade

Simone foi excluída da sociedade da SMG no dia 13 de agosto, depois do acordo com o filho. Foi também nessa época que o Instituto Gabriel Medina começou a ser desmontado, como parte desse trato.

Ainda segundo a coluna de Vecchioli, o surfista pediu a amigos que retirassem tudo do prédio, que há algum tempo era oferecido por corretores, e que guardassem em um galpão fechado, se um dia o instituto voltar a existir.

O Instituto não funciona desde antes da pandemia. Fechou as portas junto com a quarentena e reabriu para ações assistencialistas lideradas por Gabriel, mas nunca mais funcionou.

Simone, que era a presidente do Instituto Gabriel Medina desde a fundação, diz que deixou o cargo e não tem mais nada a ver com a entidade. No seu lugar, Gabriel Medina foi eleito.

Na briga familiar, até o irmão dela, Jaime Medina, antigo administrador da ONG e com quem Gabriel estava brigado, ficou ao lado do surfista.

Divisão de bens

Dona do prédio da Instituição, em um acordo considerado “amigável” por Simone, ela chegou a pedir R$ 10 milhões pelo terreno de 800 metros, estritamente comercial, com uma saída para a pista e outra para a praia. Agora, quer fechar negócio por R$ 8 milhões.

Além do prédio, o casal Simone e Charles ficou com uma casa em um condomínio de luxo, pela qual pediam R$ 6 milhões, e outra, já vendida, em um condomínio onde a família morou antes de Gabriel ser campeão mundial. Conforme a coluna, o acordo também envolveu o pagamento de R$ 5 milhões de Medina para a mãe.

Na divisão, Gabriel ficou com um condomínio de alto padrão que construiu com Charles, com seis casas, chamado Champs. Também com a casa que construiu em uma das pontas da praia de Maresias, em São Paulo, no meio da mata, depois de pôr abaixo a antiga casa que havia no local, que ele comprou por R$ 3 milhões.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Surfe

Loading...