Surfista manezinho relembra início na Praia Mole, palco da etapa do QS

Yago Dora compõe a lista da elite do WSL Championship Tour e estará no evento que inicia nesta quarta-feira (10)

Yago Dora, natural de Florianópolis, pegou suas primeiras ondas na Praia Mole, palco da etapa do Qualifyng Series da Liga Mundial de Surfe. Agora, ele retorna fazendo parte da elite do esporte e como presença confirmada no evento que inicia nesta quarta-feira (10).

Yago Dora retorna para a Praia Mole como profissional – Foto: WSL/Divulgação/NDYago Dora retorna para a Praia Mole como profissional – Foto: WSL/Divulgação/ND

O manezinho da Ilha será o cabeça de chave número um do “Billabong apresenta LayBack Pro” onde será realizado no local que começou a surfar. Agora, Yago Dora chega na praia do Leste da Ilha de Santa Catarina como profissional e fazendo parte da elite do WSL Championship Tour.

“A Praia Mole tem um lugar muito especial no meu coração. Minhas primeiras memórias de surfe são na Praia Mole. Foi onde dei meus primeiros passos no esporte, então a expectativa é muito boa e espero que dê boas ondas, para que o evento possa ser um grande show”, afirma Yago Dora.

Florianópolis não era palco de competições internacionais há seis anos. Além disso, a Praia Mole não era sede de eventos do surfe mundial há 11 anos. Se não bastasse o peso para a Capital, será ainda a primeira competição no litoral brasileiro desde a paralisação por conta da pandemia da Covid-19.

“Estou muito feliz por essa oportunidade de competir na Praia Mole. Vai ser meu primeiro evento profissional lá e fazem alguns anos desde que rolou o último desse nível aqui em Florianópolis, em 2016”, relembra Yago Dora.

O catarinense entrou na elite da WSL em 2018 e no CT 2021 fez sua melhor temporada, ficando em 9º lugar no ranking e entre os primeiros nas listas dos recordes do ano.

Yago foi o brasileiro que ganhou a maior nota nas sete etapas, 9,73 nas semifinais do Surf Ranch, que só ficou abaixo do único 10 de John John Florence e do 9,93 de Ryan Callinan, ambos conseguidos nas ondas de Margaret River.

Também na Austrália, Yago registrou a segunda maior somatória das duas notas computadas, 18,67 pontos em Rottnest Island, que só não superaram os 18,77 de Gabriel Medina na final da etapa de Narrabeen, em Sidney.

“Foi um ano diferente dos outros e eu fui me sentindo mais confortável a cada etapa, conseguindo colocar o nível do meu surfe por completo em algumas baterias. Eu acho isso importante, quando você consegue mostrar tudo o que você sabe dentro dos 30 minutos de uma bateria. Agora é continuar trabalhando e buscar manter essa consistência, para seguir escalando no ranking”, finaliza o Manezinho da Ilha.

A etapa do WSL Qualifying Series  será a primeira a marcar pontos nos nos rankings regionais 2021/2022 da WSL Latin America. As listas classificarão 15 surfistas para o WSL Challenger Series de 2022, sendo 10 na categoria masculina e cinco na feminina, para disputar vagas para o World Surf League Championship Tour.

Em Florianópolis, estarão em jogo 3000 pontos para os homens e 1000 para as mulheres.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Surfe

Loading...