Espetáculo “A Carpa” faz três noites de apresentação na Capital a partir de sexta (27)

A Crise de Romper Tradições - Peça traz reflexões sobre a durabilidade das tradições na contemporaneidade

Celso Lemos / Divulgação / ND

Mãe e filha confrontam com humor amargo suas opiniões

E agora, para onde nós estamos indo? A indagação soa quase desesperadora na voz de uma mãe disposta a confrontar suas visões de mundo com a filha numa tentativa de perpetuar suas saudosas tradições. Em “A Carpa”, espetáculo selecionado pelo Programa Petrobras Distribuidora de Cultura 2011/2012 que chega a Florianópolis para uma turnê de três dias, diferentes gerações conversam entre si trazendo à tona a (im)permanência das tradições na contemporaneidade. A estreia será sexta (27), no teatro Sesc Prainha, e as apresentações são gratuitas.

Com texto de Denise Crispun e Melanie Dimantas, a peça foi premiada em 2004 em concurso promovido pela Funarte (Fundação Nacional das Artes). A remontagem conta com a direção de Ary Coslov que recebeu os Prêmios Shell e APTR em 2008 na categoria melhor direção pela peça “Traição”- e tem no elenco as atrizes Ivone Hoffmann (Prêmio Shell, em 95, com “Como diria Montaigne”) e Anna Cotrim.  

As atrizes se revezam em quatro papéis, em duas épocas e em países diferentes, Brasil e Rússia. De um lado, uma mãe que ainda carrega dentro de si o seu país e as tradições dos guetos e, do outro, uma filha aculturada, que se casou com um “não judeu”. Tudo se passa em um único dia, na véspera de Pessach, a páscoa judaica. Em torno da feitura do peixe tradicional, mãe e filha confrontam com humor amargo suas visões de mundo.

Na cozinha, a mãe, cheia de certezas e valores imutáveis, e a filha, num dilema entre o que lhe foi legado e o mundo em que vive, têm que descobrir um afeto que, apesar de todas as diferenças, existe adormecido entre as duas. “Mesmo quem não é da religião judaica acaba se identificando e no final das apresentações comentam: ‘nossa, tenho essa relação com minha mãe’”, diz a atriz Anna Cotrim.

Ter mais paciência é tarefa para os mais jovens

A atriz paulistana Anna Cotrim, 47, entrou para o elenco a convite da atriz Ana Carolina Aguiar, que deixou a montagem para se dedicar à maternidade. Ela diz ter se identificado muito com Ivone, que interpreta sua mãe. “E minha relação com minha própria mãe mudou. Aprendi a ter mais tolerância. É muito mais fácil para os jovens repetir e ter paciência”, disse.

Na peça, Anna faz o papel de Débora, filha de Sura, e depois, trocando os papéis, interpreta a jovem Sura contracenando com sua mãe. Três gerações confrontando suas diferenças e ideais por meio da relação materna. “É uma mãe e uma filha que debatem suas visões do judaismo e, mais que isso, suas relações afetivas”, afirma o diretor Ary Coslov.

Serviço

O quê: Espetáculo teatral “A Carpa”
Quando: 27 a 29/4/2012, 20h
Onde: Teatro Sesc Prainha, travessa Syriaco Atherino, 100, Florianópolis, tel.:(48) 3229-2209
Quanto: Gratuito


Acesse e receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Teatro