Descubra por que 9 em cada 10 startups morrem antes de ter clientes

Mesmo a ideia sendo muito boa e original, não são todas que realmente viram um negócio

Porque as startups morrem antes de ter clientes

Ter uma ideia inovadora não é uma tarefa muito fácil não. Agora ter uma ideia que seja boa, e que ainda seja original, não é tarefa para qualquer um não. Mas mesmo a ideia sendo muito boa, por que algumas não tem clientes?

Bom, principalmente porque os clientes não enxergaram aquela ideia como uma solução real para os seus problemas. No final das contas, o que vende não é uma boa ideia, mas aquela que entrega uma boa solução.

Segundo a pesquisa da consultoria e auditoria PwC Brasil, 9 em cada 10 startups morrem antes de virar um negócio, e o principal motivo é porque elas não resolvem um problema real do mercado.

Quando a solução fica muito na ideação, ela funciona perfeitamente, mas só nas ideias. Toda nova startup passa por um processo de validação do mercado antes de entrar de fato numa operação.

É comum neste processo de validação muitas ideias serem refutadas pelo principal termômetro do mercado, que é o cliente. Este é um momento crucial para muitos empreendedores.

Existem aqueles que superam as dificuldades, resolvem dar um passo atrás e começar de novo. Pivotam a sua ideia para um novo modelo de negócio que faça mais sentido para os clientes finais. Estes voltam para o jogo.

Agora, uma grande parte dos empreendedores fica apegado demais a sua ideia perfeita de negócio e esquece de escutar aquilo que o mercado realmente está pedindo.

O cliente é tudo para o sucesso do negócio, mas…

Sim, o cliente é tudo para o sucesso do negócio, afinal de contas não existe negócio se você não tiver para quem vender o seu produto ou serviço, não é mesmo? Conquistar o cliente é o primeiro passo do sucesso, mas não é o único.

Segundo a mesma pesquisa, a outra parte das startups que morrem falham por outros dois motivos: ou pela falta de dinheiro para rodar o negócio, ou por problemas com a equipe da startup.

Quando falamos em dinheiro, nem sempre estamos falando daqueles valores monstruosos das startups unicórnios não. Falamos de dinheiro para pagar a operação. Aquele dinheiro que falta para pagar um aluguel, para comprar um equipamento, para investir em fazer a solução acontecer.

Temos um ecossistema muito ativo, e com uma diversidade de possibilidades de investimentos. Desde fundos de investimentos, plataformas de financiamento coletivo, até investidores anjos. Não faltam opções.

O problema é que o investidor é muito rigoroso onde aporta o seu capital. Diminuindo o risco do negócio, e potencializando as ideias digitais e de grande escalabilidade, a janela de startups para investimentos fica bem reduzida.

Outro fator é que muitos empreendedores investem numa startup não porque estão atrás de um negócio de sucesso, mas sim atrás de uma renda alta e rápida. Quando esta renda não vem rápido, e acreditem ela demora mesmo, alguns pulam fora do jogo.

No final das contas, quem faz o negócio acontecer são as pessoas

Outro fator que derruba as startups é a equipe, ou time. Sim, problemas de relacionamento interpessoal estão entre as principais causas neste ponto. Ter uma sociedade é como ter um casamento, só que a gente tira o sentimento da equação.

Se a equipe não está bem alinhada, se os objetivos, as expectativas, as entregas e as concessões entre os sócios não estão bem discutidas, é só uma questão de tempo até isto virar um problema.

Escolher um time com as competências e habilidades técnicas necessárias para o projeto e requisito essencial, mas o necessário é escolher um time com excelentes competências e habilidades comportamentais.

“Não basta uma boa ideia, nem um monte de dinheiro, quem faz uma startup são as pessoas que estão à frente dela!”

Estas foram as palavras do mentor Dornelles Vissotto Junior, professor da UFPR e agente de inovação para a aceleradora Condor Connect, que acompanha vários programas de aceleração.

Na sua conclusão, não importa a falta de percepção do empreendedor em olhar para a sua ideia como uma solução para uma necessidade real do mercado, ou a falta de estratégia do empreendedor em alavancar o seu negócio com uma baixa estrutura de custos.

“Não é a startup que morre, mas sim o empreendedor à frente dela.”

Não perca a oportunidade de fazer a sua ideia acontecer. Ela pode ser o diferencial que a sociedade está precisando.  Entre em contato através do e-mail oi@condorconnect.com.br e agende a oportunidade de fazer a sua ideia decolar. Participe agora e trabalhe o perfil empreendedor para o seu negócio. Empreenda-se.

+

Tecnologia