Fabio Gadotti

fabio.gadotti@ndmais.com.br Comportamento, políticas públicas, tendências e inovação. Uma coluna sobre fatos e personagens de Florianópolis e região.


Florianópolis tem desafio para receber a tecnologia 5G em 2022

Primeiro passo é aprovar revisão da legislação municipal; projeto está em debate na Câmara de Vereadores

Conhecida como a Ilha do Silício brasileira, pelo ecossistema de tecnologia e inovação, Florianópolis precisa de uma revisão da legislação para receber a tecnologia 5G, cujo leilão internacional deve ser lançado até meados de outubro pelo governo federal.

O desafio é garantir que a Capital catarinense esteja com a estrutura disponível para receber os investimentos logo que as empresas comecem a instalar os equipamentos.

Projeto de lei que está na Câmara de Vereadores atualiza normas urbanísticas para que Florianópolis esteja pronta para receber os equipamentos da tecnologia 5G – Foto: Leo Munhoz/NDProjeto de lei que está na Câmara de Vereadores atualiza normas urbanísticas para que Florianópolis esteja pronta para receber os equipamentos da tecnologia 5G – Foto: Leo Munhoz/ND

“O 5G vai mudar efetivamente os modelos de negócios das empresas, e não só daquelas do segmento de tecnologia”, afirmou o presidente da Acif (Associação Empresarial de Florianópolis), Rodrigo Rossoni, em audiência pública realizada nesta quinta-feira (12) pela Comissão de Viação, Obras Públicas e Urbanismo da Câmara de Vereadores.

Projeto de lei em tramitação no Legislativo, apresentado na legislatura passada pelo ex-vereador Miltinho Barcelos e que recebeu substitutivo da vereadora Manu Vieira (Novo), atualiza a legislação municipal à regulamentação federal. A proposta está na Comissão de Viação e depois vai passar pela Comissão de Orçamento antes de ir a plenário.

“A preparação para a entrada do 5G é fator de inclusão social, temos cerca de 4 mil empresas de tecnologia no município, que estão crescendo e com oportunidades de emprego abertas”, disse Marcos Lichtblau, superintendente municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação.

“A cidade precisa estar na frente quando o leilão sair”, alertou Lichtblau. Para ele, o esforço deve ser no sentido de garantir a vanguarda que a cidade já tem na área da tecnologia.

O presidente da Abrintel (Associação Brasileira de Infraestrutura para Telecomunicações), Luciano Stutz, destacou o “potencial  de transformação para a comunidade”, alertou para a necessidade de revisão imediata das legislação municipal para ganhar tempo de preparação e esclareceu que “o 5G vai exigir cinco vezes mais antenas do que a tecnologia 4G para cobrir a mesma área geográfica”. Elas serão, no entanto, “pouco maiores do que uma caixa de sapato”.

Ao falar sobre o cronograma previsto pelo governo federal, o chefe da assessoria técnica da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), Humberto Pontes, disse que a tecnologia 5G deve chegar a Florianópolis em outubro do ano que vem.

“É importante que a legislação municipal esteja atualizada e aderente à federal”, afirmou. Pontes lembrou que um dos objetivos do edital será “levar conectividade a regiões com baixo perfil demográfico ou baixa atratividade”.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...