Professor e YouTube: uma parceria que pode conectar escola e digital

Explorar nossas ferramentas para ir além da educação formal tem sido estratégia usada por professores; saiba como utilizar a tecnologia ao seu favor no ensino

Ir além dos recursos básicos na educação formal para atrair os alunos com estratégias que alinham conteúdo, tecnologia e linguagem fácil tem sido o caminho trilhado por professores para cativar, engajar e aproximar o estudante do ensino.

O professor de história, Pedro Romão Mickucz, está no Youtube há mais de 10 anos – Foto: Carolina de Oliveira/Divulgação/its TeensO professor de história, Pedro Romão Mickucz, está no Youtube há mais de 10 anos – Foto: Carolina de Oliveira/Divulgação/its Teens

Ao menos é o que tem feito o professor de História da Escola Municipal João Bernardino da Silveira, Pedro Romão Mickucz, com o canal no YouTube Prof. Pedro JB que propõe ensinar história em dez minutos.

Com uma conta ativa na plataforma desde 2007, o espaço tem sido usado para publicações de vídeos feitos na escola com participação dos alunos, conteúdos direcionados e também o outro lado da vida de professor fora da sala de aula.

Neste ano, a criação da nova série educativa desafia Pedro não só em conseguir em um curto tempo explicar um assunto, mas mostrar quem é ele em frente às câmeras.

Por conta da pandemia da Covid-19, a produção de vídeo mudou o foco, ainda que temporariamente, e aproximou os estudantes do ensino com explicações didáticas de temas alinhados com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e utilização de todos os recursos disponíveis para prender a atenção do aluno com narração, imagens e mapas.

“Eu penso que história é muito texto, então, se a pessoa não tem o hábito de leitura, ela vai se complicar. Mas o problema é que história é uma linguagem técnica. Então, eu penso que o professor Pedro tem uma linguagem técnica, mas de uma forma mais clara. Tanto no canal quanto na escola”, diz a aluna do nono ano Beatriz Lourenço Vieira, 15.

Assim como Beatriz, outros alunos passaram a usar o YouTube como ferramenta de estudo, como é o caso de Matheus Maximiano dos Santos, 13. “Eu comecei a ver videoaulas na pandemia no canal do professor Pedro”, relembra.

Inspirado em youtubers que falam sobre educação na plataforma, o professor busca produzir os conteúdos para quem gosta de história, de uma forma simples e linguagem clara. “Os vídeos que eu publico, eu trago com uma linguagem de YouTube. Trago curiosidades pensando no público geral.”

Mas todo esse engajamento do professor Pedro com a plataforma se conecta até mesmo com a mudança de consumo de vídeos na internet. Por conta do isolamento social causado pela pandemia, o YouTube Brandcast, maior evento do YouTube no Brasil, divulgou no ano passado um crescimento de 91% dos brasileiros que aumentaram o tempo de uso na plataforma.

Os dados da pesquisa mostraram que a entrevista foi feita com pessoas de 18 a 65 anos de idade no Brasil e revelou um número alarmante: ao todo, mais de cem milhões de pessoas acessam a plataforma todos os meses, só aqui, em terras tupiniquins.

Quer estar no YouTube, mas não sabe por onde começar? Siga os passos do mestre

O modo de ensino do Profº Pedro JB conquista seus alunos – Foto: Ana Paula Dobrotinick/Divulgação/it TeensO modo de ensino do Profº Pedro JB conquista seus alunos – Foto: Ana Paula Dobrotinick/Divulgação/it Teens

Mesmo que a pandemia tenha acelerado o uso de ferramentas no ensino, ainda não são todos que têm facilidade em mexer com a tecnologia, que sabem produzir vídeos em casa ou até mesmo como funciona o YouTube para criação de conteúdo.

Mas para tirar todas as dúvidas de como fazer um bom vídeo para os seus alunos, o professor Pedro compartilhou umas dicas essenciais que ele também aplica, desde o processo de escolha do tema até a publicação do vídeo.

Para construção de roteiro, gravação e edição:

  • Mesmo que você domine o tema, vale a pena pesquisar para não esquecer de informações importantes que fazem a diferença no conteúdo para o vídeo.
  • Faça um roteiro simples em tópicos para usar como guia durante a gravação.
  • Os temas estão sempre alinhados com a BNCC, ou seja, fazem parte dos assuntos discutidos em sala de aula.
  • Construa falas mais curtas e seja objetivo no vídeo.
  • Para gravar, se não tiver uma câmera, o celular pode ser uma boa saída. Lembre sempre de colocar a posição do aparelho de acordo com a plataforma em que o vídeo vai ser postado: no YouTube, grave na horizontal; para redes sociais como Instagram e TikTok, vertical.
  • Se não tiver uma boa iluminação natural ou se você prefere gravar à noite, investir em uma ring light pode ajudar na luz do vídeo.
  • Durante a gravação, procure olhar sempre para a câmera e não para a sua imagem no celular.
  • Atente-se ao cenário e roupas usadas para não chamar mais a atenção do que o conteúdo abordado.
  • Na hora de editar, o Filmora pode ser uma boa ferramenta com recurso simples, intuitivo e fácil de mexer.
  • Criação de capa para o vídeo ajuda na identidade do canal.

Para a hora da publicação no YouTube:

  • Use título criativo para chamar a atenção, mas não entregar o conteúdo.
  • Faça sempre a descrição do vídeo para que possa ter bom desempenho na plataforma.
  • Inclua sempre a hashtag com palavras-chave usadas no vídeo.
  • Na hora de publicar, compartilhe o link com o maior número de pessoas para que o YouTube entenda que o seu material está sendo visto e tem relevância.
  • Cuidado com o horário da publicação também é importante, isso ajuda no engajamento.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Tecnologia

Loading...