33 Giga

Blog de tecnologia com serviços e notícias quentes da área. Dicas, tutoriais, testes e muito mais, de forma simples e descomplicada.


TikTok: aparentemente, a novela chegou ao fim

TikTok: aparentemente, a novela chegou ao fim - Imagem de Kon Karampelas por PixabayTikTok: aparentemente, a novela chegou ao fim - Imagem de Kon Karampelas por Pixabay

em>*Por Vivaldo José Breternitz

Os últimos meses da administração Trump foram marcados por acusações feitas pelo ex-presidente contra as rede sociais de origem chinesa, TikTok e WeChat. Ambas têm um grande número de usuários nos Estados Unidos.

Leia mais:
Qual o melhor antivírus para computadores Windows e Mac?
Conheça as categorias de sites mais perigosas para se navegar

Basicamente, Trump as acusava tanto TikTok como WeChat de espionagem e emitiu ordens executivas exigindo que fossem vendidas; caso contrário, seriam banidas dos Estados Unidos.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Agora, o presidente Joe Biden revogou essas ordens executivas. Ele determinou que o Departamento de Comércio dos Estados Unidos deve avaliar regularmente os aplicativos vinculados a potenciais adversários estrangeiros, como a China. E, com isso, tomar providências caso apresentem “riscos inaceitáveis” à segurança nacional.

Na ocasião, houve uma corrida de empresas americanas tentando comprar o TikTok. A Oracle e o Walmart, em parceria, negociaram com a ByteDance, dona da rede. Tinha-se a impressão de que Trump aprovava a operação, que acabou não sendo concluída até que ele deixasse o cargo.

Quando Biden venceu a eleição, o assunto entrou em compasso de espera, enquanto a nova administração analisava os riscos de segurança gerados pelo TikTok, WeChat e outros aplicativos de propriedade chinesa.

Essa análise parece ter concluído que também nesse assunto Trump mentiu, e as empresas TikTok e WeChat obtiveram sinal verde para continuar operando nos Estados Unidos.

*Vivaldo José Breternitz, doutor em ciências pela Universidade de São Paulo, é professor da Faculdade de Computação e Informática da Universidade Presbiteriana Mackenzie.