Vida extraterrestre: descoberta de professores da UFSC entra para pesquisa internacional

Comportamento da estrela poderia estar relacionado à atividade extraterrestre

A descoberta de uma estrela peculiar, que estaria relacionada a atividades extraterrestres, de dois professores da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) foi destaque de uma publicação internacional.

O projeto SETI (Busca por Inteligência Extraterrestre, em tradução livre) é um dos mais reconhecidos projetos científicos de busca por vida inteligente fora da Terra.” .

Descoberta foi coordenada por dois professores da universidade catarinense – Foto: UFSC/DivulgaçãoDescoberta foi coordenada por dois professores da universidade catarinense – Foto: UFSC/Divulgação

O objeto foi identificado pelo projeto VVV (VISTA Variables in the Via Lactea), que tem como um dos líderes o astrônomo Roberto Saito e como co-autor Raymundo Baptista, ambos professores do Departamento de Física da universidade. A descoberta apontou que a estrela pode abrigar estruturas extraterrestres.

Intitulada “os mais estranhos objetos do universo” (em tradução livre), a publicação da Air and Space Magazine acentua o que Roberto Saito afirma ser um “objeto um em um bilhão”. A especificidade da estrela VVV-WIT-07 (em inglês, para “o que é isto?”) é que o objeto, observado há oito anos, apresenta irregularidades e repentinas quedas em seu brilho de 30 a 40%, e até com registro de 80.

De acordo com o Roberto, isto indica que o astro pode estar sendo eclipsado por um sistema de anéis planetários, muitas vezes maior que o de Saturno, por um sistema de cometas ou por um disco de poeira irregular.

No entanto, a rara condição do objeto pode sugerir que seus eclipses, quando observados da Terra, indicam a passagem de tecnologias de engenharia de seres inteligentes, e por isso foi inclusa no catálogo.

Busca por inteligência fora da Terra já dura décadas

Há décadas cientistas do mundo todo têm se engajado na pesquisa por inteligência extraterrestre no projeto SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence, que significa, Busca por Inteligência Extraterrestre). Nos primeiros anos do projeto, os astrônomos se dedicaram a procurar por vida, como a que existe na Terra, com as mesmas características.

O foco mais recente de pesquisa, no entanto, parte do pressuposto de que, pela idade do universo, a vida inteligente pode ser bilhões de anos mais antiga que a vida humana. Isso pode significar que alienígenas podem ter desenvolvido tecnologia, inclusive, para reengenharia de um sistema solar, o que implicaria em possíveis megaestruturas no espaço, como as que podem eclipsar a estrela descoberta por Roberto Saito e sua equipe.

Com isso, o projeto analisa os mais estranhos objetos do universo e já tem um catálogo com cerca de 800 objetos astronômicos, que apresentam peculiaridades que podem ser explicadas pela existência de tecnoassinaturas alienígenas, dentre eles a VVV-WIT-07, dos professores da UFSC.

A publicação completa está disponível no site do catálogo.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Tecnologia

Loading...