Água congelada em cano, hipotermia e morte: frio intenso em SC traz riscos; veja como agir

É esperada a maior onda de frio desde 1955, sendo que 80% do território catarinense deve ter mínimas entre 0°C e -7°C

A partir desta terça-feira (27), o frio extremo deve chegar com tudo em Santa Catarina. É esperada a maior onda de frio desde 1955, sendo que 80% do território catarinense deve ter mínimas entre 0°C e -7°C.

Frio deve se intensificar em Santa Catarina – Foto: Reprodução/NDFrio deve se intensificar em Santa Catarina – Foto: Reprodução/ND

Por conta disso, há risco de prejuízos à agricultura, às pessoas, aos animais e até de congelamento da água nos canos. “Tudo que for sensível ao frio poderá sofrer danos. Avisamos com antecedência para o produtor tomar cuidado e se preparar, assim como as pessoas”, informou o meteorologista Ronaldo Coutinho.

Riscos às pessoas e animais

O frio intenso trará riscos de hipotermia para pessoas com situação de exposição elevada ao frio, como moradores de rua, e animais de criação, como suínos e aves, e estimação.  “Na região da Serra Catarinense as máximas podem oscilar entre 0 e 3° e mínimas entre -7 e -10°C”.

Em Florianópolis, a prefeitura vai intensificar o trabalho de sensibilização e acolhimento à população em situação de rua na cidade. A Santur (Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina) orienta que os turistas devem subir as serras catarinenses apenas com a garantia de reserva em hotéis e pousadas.

Já o Corpo de Bombeiros Militar alerta as pessoas para que não utilizem, no interior de casas, churrasqueiras ou latas com fogo que podem provocar incêndios ou intoxicação por monóxido de carbono.

Cuidados com o pet no frio

Ainda que o frio persista, o banho é necessário e importante para a saúde do pet, mas é preciso se atentar aos cuidados com a temperatura da água para evitar ressecamento ou até mesmo coceira de pele. Vale cuidar com a tosa: nesta estação, a mais recomendada costuma ser a higiênica.

A roupa para pet pode ajudar a manter a temperatura do corpo do animal aquecida. O ideal são peças confortáveis, de boa qualidade e que não tenham enfeites de excesso, como os penduricalhos, que podem até mesmo limitar a movimentação do animal.

Se o pet é filhote ou já idoso, a proteção pede mais cuidado por sentir mais frio por ter baixa imunidade

Geada severa

Embora exista possibilidade de neve nas áreas mais altas, principalmente entre quarta-feira (28) à noite e quinta-feira (29), a característica desta onda polar é o frio extremo. “A geada vai ser severa”, informou Coutinho.

“Os próximos 10, 15 dias estão indicando chuva abaixo do normal em toda a área do Cone Sul. O mês de julho está terminando com chuva muito abaixo da média”, comentou.

Quem trabalha com trigo, por exemplo, deve aproveitar esta segunda-feira (26), já que alguma precipitação está prevista, auxiliando na cobertura do plantio.

Congelamento de água nos canos

Será necessário, ainda, atentar para o congelamento de água nos canos, “principalmente nas cidades do Oeste, Meio-Oeste, Serras, Planaltos e parte alta da Grande Florianópolis”, alertou o meteorologista.

A orientação é que a população proteja os canos que não estão enterrados e os hidrômetros que ficam mais expostos ao frio. A cobertura pode ser feita com lona, papelão ou jornal. Isso ajuda a evitar o congelamento da água e, também, a ruptura que a baixa temperatura pode provocar.

Os hidrômetros também devem receber o mesmo tipo de proteção, para evitar que o equipamento quebre com a pressão da água congelada.

Congelamento de rodovias

Conforme a Defesa Civil de Santa Catarina, com as baixas temperaturas também existe o risco de congelamento das rodovias. A PMRv (Polícia Militar Rodoviária) está reforçando o efetivo e colocando em prática a Operação Gelo na Pista.

Além disso, haverá pontos de apoio nas barreiras que serão instaladas nos postos policiais caso ocorra a necessidade de fechamento de rodovias.

Risco de ressaca e alagamentos costeiros

É importante destacar que existe também o risco de ressaca e alagamentos costeiros a partir de quarta-feira. Desta forma, a Defesa Civil estadual ressalta o risco de navegação de pequenas e médias embarcações e a necessidade de cuidados com apetrechos de pesca.

+

Tempo

Loading...