Boletim hídrico aponta agravamento da estiagem em Santa Catarina

Cenário crítico ocorre devido aos baixos volumes de chuva nos últimos dois meses; região Oeste do Estado é a que mais sofre com a seca

O Boletim Hidrometeorológico divulgado nesta quinta-feira (8), mostra o agravamento da seca em quase todas as regiões de Santa Catarina, devido aos baixos volumes de chuva nos últimos dois meses.

Agravamento da seca em quase todas as regiões de Santa Catarina ocorre devido aos baixos volumes de precipitação nos últimos dois meses – Foto: Julio Cavalheiro/Arquivo/SecomAgravamento da seca em quase todas as regiões de Santa Catarina ocorre devido aos baixos volumes de precipitação nos últimos dois meses – Foto: Julio Cavalheiro/Arquivo/Secom

A publicação é coordenada pela SEMA (Secretaria Executiva do Meio Ambiente), integrada à SDE (Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável), e pela Defesa Civil do Estado de Santa Catarina.

“Quando se trata do interior de Santa Catarina, a situação hidrológica é mais grave que no resto do Estado. O litoral, por exemplo, teve chuvas próximas ou acima da média. Portanto, o comprometimento do abastecimento urbano em diversos municípios e a intensidade da estiagem permanecem e exigem o monitoramento contínuo”, destaca o secretário da SEMA, Leonardo Ferreira.

Ele acrescenta que o governo do Estado retorna com a emissão de boletins quinzenais e na atuação conjunta com a Defesa Civil para acompanhar mais de perto a situação do agravamento da seca.

Dentre os 295 municípios de Santa Catarina, 181 estão em estado de normalidade; 76 de atenção; oito de alerta, e sete em situação crítica frente à estiagem. Além disso, 23 cidades não encaminharam informações da situação.

“O estado mais crítico é encontrado na região Oeste do Estado. Por isso, o monitoramento da situação do abastecimento público pelas agências de regulação volta a ser concentrado nas ações de mitigação dos prestadores e municípios, visando a continuidade deste serviço público que é primordial para saúde da população catarinense”, acrescenta a gerente de Fiscalização da Aresc (Agência Reguladora de Serviços Públicos de Santa Catarina), Luiza Burgardt.

Sem chuva

Conforme o governo do Estado, ao longo do mês de março, nas regiões litorâneas e proximidades, a chuva foi um pouco melhor distribuída em relação aos demais locais. Isso se explica, principalmente, pela maior quantidade de umidade vindo do oceano para estas áreas.

Nos Planaltos e no Oeste, foram registrados de 17 a 21 dias sem chuvas. A precipitação mais irregular foi observada no Extremo Oeste e em proximidades ao Rio Grande do Sul, com 21 a 25 dias sem precipitação.

Índice Integrado de Seca

Segundo o ISS (Índice Integrado de Secas), que consiste na combinação do Índice de Precipitação Padronizada (SPI), com o Índice de Suprimento de Água para a Vegetação (VSWI) ou com o Índice de Saúde da Vegetação (VHI), ambos estimados por sensoriamento remoto, em Santa Catarina, 79 municípios estão classificado com condição normal (27%), 126 em seca fraca (43%), 75 em seca moderada (25%) e 13 em seca severa (5%).

Próximo trimestre

A previsão para os meses de abril, maio e junho é de precipitação abaixo da média para Santa Catarina, principalmente, entre o Meio e Extremo Oeste catarinense. Ou seja, indica um período ainda mais seco neste período. Com este resultado, é importante praticar o consumo consciente e racional de água.

“Praticar o consumo consciente de água não significa deixar de usar o recurso, mas sim repensar as suas formas de uso”, finaliza o diretor de Recursos Hídricos e Saneamento da SDE/SEMA, Pedro Brolezz.

Recomendações

  • Evite banhos demorados;
  • Mantenha a torneira fechada ao fazer a barba e ao escovar os dentes;
  • Antes de lavar os pratos e panelas, limpe bem os restos de comida e jogue-os no lixo;
  • Deixe a louça de molho na pia com água e detergente por uns minutos e ensaboe. Repita o processo e enxágue;
  • Adote o hábito de usar a vassoura e não a mangueira para limpar a calçada e o quintal de sua casa;
  • Não lave o carro durante a estiagem. Caso precise, use balde e pano para lavar o carro em vez de mangueira;
  • Use regador para molhar as plantas no lugar de mangueira;
  • Utilize a máquina de lavar somente quando estiver na capacidade total;
  • No tanque, feche a torneira enquanto ensaboa e esfrega a roupa;
  • Mantenha a válvula de descarga regulada, e conserte imediatamente vazamentos.

Atividades com maior desperdício

  • Torneira gotejando: 40 litros diários;
  • Torneira aberta durante 5 minutos: 80 litros diários;
  • Banho de 15 minutos: 243 litros;
  • Lavar a calçada com mangueira por 15 minutos: 279 litros.
+

Tempo