Cenário de chuvas em SC terá reviravolta nos próximos dias; entenda

Com bloqueio atmosférico, chuvas em SC são irregulares e provocadas pelo calor; entrada de frente fria permitirá chuva mais "organizada"

Nas últimas semanas as chuvas têm se comportado de forma estranha em Santa Catarina, com locais onde chove muito e onde não cai um pingo – as chamadas chuvas irregulares e mal distribuídas. Tem dois responsáveis pelo cenário: o fenômeno La Niña e o bloqueio atmosférico, que também provoca um calor intenso.

Mas uma reviravolta temporária deve ocorrer nos últimos dias de janeiro, com a aproximação de uma frente fria. Ela está prevista para entrar no Estado entre quinta e sexta-feira (28).

Chuva deve ser mais ORGANIZADA em SCChuva irregular ocorre por conta do bloqueio atmosférico – Foto: Secom/Prefeitura de Joinville

“Por conta do bloqueio atmosférico, as frentes frias chegam até o Rio Grande do Sul e são desviadas para o mar, não atingindo o Estado”, explica Francine Sacco, meteorologista da Defesa Civil Estadual. As chuvas foram dependentes do calor, também chamadas de chuvas de convecção ou de verão.

Em alguns municípios do Litoral Sul e Norte, por exemplo, já choveu até este domingo (23) o que era previsto pela Defesa Civil para todo o mês. “Em Florianópolis choveu apenas 29%. Mas se subirmos um pouco, em Camboriú, choveu 78%. É típico desse tipo de chuva ser irregular”, explica Sacco.

A chuva prevista para o fim desta semana não resolverá o problema da estiagem enfrentada no Oeste, adianta a meteorologista. Entretanto deve dar uma amenizada principalmente no calorão registrado no Estado, com as temperaturas voltando ao normal da época.

Situação das chuvas, segundo Defesa Civil

Janeiro: Até o momento temos estações acima do esperado no Litoral Norte e no Litoral Sul. Na porção central do estado entre a média e 50% abaixo desta. E no Extremo Oeste e Oeste entre 10 e 70% do esperado. A distribuição bem típica de chuva irregular causada pela convecção ou aquecimento diurno.

Dezembro: Pontuais bem acima de 100% no Litoral, mas também com certa irregularidade, já que alguns pontos também ficaram abaixo do esperado. Do Extremo Oeste ao Meio-Oeste chuva bem abaixo do esperado, variando entre 6 e 56% da climatologia ou do esperado para o mês.

Estiagem no Oeste

No Oeste, a área de seca extrema aumentou em dezembro, comparado ao mês anterior por conta da chuva abaixo do esperado. Os dados foram divulgados no último dia 19, pelo governo de Santa Catarina. A previsão é que pelo menos até o final do verão as chuvas permaneçam irregulares e abaixo da média histórica em boa parte do Estado.

Estimativas da Epagri/Cepa apontam que a situação pode acarretar perdas de em média 43% na safra catarinense do milho e de cerca de 30% na de soja. “A estiagem iniciou após dia 20 de novembro, quando mais de 50% das lavouras de milho estavam em fase de floração, período sensível à falta de umidade no solo. A continuidade da estiagem e das altas temperaturas pode aumentar ainda mais as perdas”, ressalta o órgão.

+

Tempo

Loading...