Chapecó poderá racionar água e BRF vai buscar no rio Uruguai

Reservatório do bairro Engenho Braun está com apenas 60% da capacidade. Período de férias e calor extremo preocupa a Casan

A seca que afeta 16 estações hidrológicas de Santa Catarina pode obrigar os moradores de Chapecó, no Oeste do Estado, a racionar água para o consumo nos próximos dias.

Lajeado São José, em Chapecó — Foto: NDTV/Arquivo/NDLajeado São José, em Chapecó — Foto: NDTV/Arquivo/ND

O reservatório da barragem do Engenho Braun, no Lajeado São José, está com apenas 60% da capacidade. Segundo a Casan (Companhia Catarinense de Águas e Saneamento), o racionamento pode ajudar a controlar o alto consumo e a hipótese de escassez de água no manancial, como ocorreu em outros anos.

Bruno Comunello Eleotero, chefe da Agência Chapecó, afirmou que a 40% do volume de água do lajeado São José é mantido com apoio da barragem localizada no interior de Guatambu. No entanto, a represa está em alerta, pois o nível está a 1,8 metros abaixo do vertedouro.

Segundo a Casan, a empresa BRF em Chapecó informou nesta semana que voltará a pegar água do Goio-Ên para manter a produção. O abastecimento é feito com caminhões e a distância a ser percorrida é de 23 quilômetros, da unidade até o rio Uruguai. A empresa já adotou essa medida em outras estiagens severas.

Oeste de SC

Um dos municípios mais prejudicados é São Miguel do Oeste, onde desde novembro o fornecimento de água é feito por meio de manobras operacionais de revezamento entre parte alta e baixa da cidade.

Lajeado São José, em Chapecó — Foto: NDTV/Arquivo/NDLajeado São José, em Chapecó — Foto: NDTV/Arquivo/ND

Nos municípios de União do Oeste, e nas localidades altas de Seara e Saltinho, também são executadas ações operacionais para manutenção do abastecimento. Nas cidades de Anchieta e Maravilha, manobras foram iniciadas na segunda-feira.

Estão também em monitoramento constante os municípios de Chapecó, Concórdia, Cunha Porã, Dionísio Cerqueira, Formosa do Sul, Iporã do Oeste, Palmitos, São Carlos, Vargeão e Xaxim.

“É preciso ter consciência de que a água gasta para lavar uma calçada ou carro foi captada na natureza e passou por diversos processos de potabilidade para atender as necessidades de diversas pessoas. Nossa mensagem é de que a economia de cada um é essencial para que todos possam ter água”, explica o superintende da região Oeste da CASAN, Daniel Scharf.

Crise em SC

Altas temperaturas e o nível dos mananciais prejudicados pela falta de chuvas nas regiões Oeste e Meio Oeste, além da chegada do período de férias, preocupam a Casan.  Dados do Monitor de Secas divulgado nesta segunda-feira mostram que a situação na região Oeste é a mais grave em Santa Catarina.  As chuvas irregulares em novembro e dezembro, muito abaixo do esperado, fizeram com que os mananciais e os níveis dos rios ficassem baixos.

“Estamos com problema de falta de chuva bem distribuída. Isso pode afetar as plantações, principalmente as de milho, que têm previsão de quebra de safra por causa dessa falta de chuva no Extremo-Oeste”, diz o pesquisador de hidrologia da Epagri/Ciram, Guilherme Miranda.

As estações hidrológicas armazenam e transmitem dados hidrológicos ao monitorar os níveis dos rios. Segundo o pesquisador, desde 2017 não tem chovido como o esperado, mas a situação se intensificou em 2019. Nos últimos dois anos, choveu 900 mm a menos no Estado.

Em situação de emergência estão estações nos municípios de Mondaí, Romelândia, Alfredo Wagner, Chapadão do Lageado, São João Batista, São Martinho, Coronel Freitas, Pinhalzinho, Saudades, Joaçaba, Tangará, Concórdia e Itapiranga.

Até o momento, em 2021, a região Oeste está com 12% a menos de chuva quando comparado à média histórica. No Meio-Oeste, choveu 16% a menos.

“Em setembro e outubro choveu até mais do que o esperado, mas agora não. Mesmo que chova mais, como é o esperado para a segunda quinzena de janeiro, não tem como recuperar o passado, como viemos com a estiagem desde 2019”, reforça o pesquisador.

Economia de água: orientações básicas:

  • Não lave calçadas, telhados e pátios com água tratada
  • Evite lavar o carro neste período
  • Evite banhos demorados
  • Não use o vaso sanitário como lixeira, exigindo várias descargas
  • Mantenha a torneira fechada ao fazer a barba e ao escovar os dentes
  • Utilize a máquina de lavar louças e roupa somente quando estiverem em sua capacidade total

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Tempo

Loading...